2014 não foi um ano fácil para a economia brasileira e, consequentemente, para diversas carteiras do mercado de seguros. Mesmo neste cenário desfavorável, a Tokio Marine conseguiu crescer em vários segmentos de sua atuação, como em transporte, e deve atingir a marca de 25% em relação a 2013. “Este não é um cenário comum para uma companhia multilinha, mas acredito que nosso bom desempenho esteja ligado à nossa estratégia de realizar uma boa subscrição do risco”, avalia Felipe Smith, diretor executivo da Tokio Marine. A seguradora aposta em alguns nichos para 2015, como automóvel, property, PME, garantia e riscos nomeados.

Para este ano que se inicia, Smith acredita que algumas seguradoras poderão se beneficiar do aumento da taxa Selic, porém sem fazerem grandes loucuras para levantar suas carteiras. “Para nós, queremos continuar crescendo em grandes riscos. Para tanto, realizamos novas contratações para reforçar a equipe, melhorar os contratos de resseguros, participar de licitações de grandes obras e concessões”, explica.

José Luis Pereira de Franco, diretor da seguradora voltado para a área comercial Corporate, afirma que os negócios de varejo e affinity também continuam na pauta. “É possível ser bom em tudo, mas acreditamos que algumas áreas terão mais sucesso, como os produtos voltados para as pessoas jurídicas”.

Sobre a fase soft que o mercado de grandes riscos atravessa, Smith avisa que quem foca sua atuação apenas no fator preço pode sofrer consequências no futuro. “O cliente que busca apenas o preço acaba ficando sem a prestação do serviço de um bom fornecedor. Não baixamos nossas taxas e vimos clientes arrependidos porque fecharam contratos com taxas mais baixas mas sem qualidade de serviço. Estes acabam retornando à nossa carteira no ano seguinte”, brinca Smith.

Kelly Lubiato
Revista Apólice

Deixe uma resposta