seguros | economia
Um mercado que cresce menos

Seguradoras revisam expectativas para baixo e 2014 caminha para ser um ano de expansão mais tímida que no exercício passado, impactado pela retração da previdência privada e também pelo desempenho da economia brasileira. Manutenção dos índices de empregabilidade e baixa penetração em alguns segmentos devem sustentar crescimento de dois dígitos

Manuela Almeida
O mercado de seguros entre¬gou, na primeira metade de 2014, o menor crescimento desde 2009, ano em que o mundo sofria os reflexos da crise econômica global. Não é para menos. O Brasil acaba de entrar em recessão técnica. Alguns especialistas conside¬ram esse termo exagerado e preferem estagnação. O fato é que o Brasil não cresce há dois trimestres consecutivos e o desempenho do País, associado aos números mais tímidos da previ¬dência privada, impacta diretamente o mercado de seguros. O resultado do segundo trimestre do Produto Interno Bruto (PIB), que mostrou retração 0,9% ante um ano, desencadeou uma série de revisões para baixo por parte dos economistas. Há quem já fale que o Brasil deve ficar no zero a zero em 2014. No mercado de seguros, essas mudanças de projeções também aconteceram. O segmento, conforme executivos ouvidos por Apólice, deve apresentar desempenho superior ao do PIB e ainda na casa dos dois dígitos, mas em um ritmo mais devagar do que o qual o mercado estava acostumado.

A expectativa da Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde e Capitalização (CNseg) é de que o segmento cresça na faixa dos 11% em 2014 ante o ano passado, abaixo da meta inicial de avanço de 15,6%. Marco Antonio Rossi, presiden¬te da entidade e da Bradesco Seguros, minimiza a influência do cenário econômico e garante que a revisão foi motivada pelo desempenho da previ¬dência privada aberta, que ainda não se recuperou totalmente do impacto da mudança nas regras de alocação de recursos e pela volatilidade no merca¬do futuro de juros, que comprimiu a rentabilidade dos títulos e impulsionou uma onda de saques no ano passado. “Temos possibilidade de aumento da penetração de seguros no Brasil, que acaba suprindo algum desempenho da economia que venha aquém daqui¬lo que a gente imagina. Isso ainda é muito favorável para o setor”, justifica Rossi, lembrando que há no Brasil 140 milhões de pessoas que não possuem seguro dental e 35 milhões de carros que não são segurados.

De janeiro a junho, os prêmios de seguros e as contribuições de capitalização e previdência privada totalizaram R$ 92,160 bilhões na primeira metade deste ano, alta de 3,4% se comparado a igual intervalo de 2013, de R$ 89,141 bilhões, segundo dados da Superintendência de Seguros Privados (Susep) compilados pela consultoria Siscorp. O crescimento na primeira metade do ano passado havia sido de 19,5%, na mesma base de comparação. Além disso, é a menor taxa de expansão desde 2009, quando o setor cresceu 7,3%. Um economis¬ta, que prefere não se identificar, diz que o mercado de seguros é mais um exemplo de um setor na economia brasileira que caminhava muito bem, com crescimento de dois dígitos, mas agora, impactado pelo desempenho econômico, está desacelerando.

Para o superintendente da Susep, Roberto Westenberger, que assumiu o comando da autarquia há cerca de seis meses, tal reflexo é inevitável. “Com o desempenho da economia, o mercado de seguros também vai sofrer os refle-xos da desaceleração, mas o setor tem espaço de crescimento, parcelas não atendidas em termos de produtos de seguros. E, por isso, estou otimista de que o segmento cresça proporcionalmente mais em relação à economia”, diz ele.

As condições macroeconômicas do Brasil fizeram a Yasuda Marítima Seguros reajustar para baixo a expec¬tativa quanto ao avanço dos prêmios neste ano. Passou de cerca de 20% para 15%, conforme Francisco Caiuby Vidigal Filho, presidente da Marítima Seguros. O ajuste nas expectativas, segundo o executivo, foi necessário devido à menor expansão do próprio setor. “Vamos continuar crescendo acima do mercado, mas não o que pre¬tendíamos no início do ano. O desta¬que de crescimento será automóvel. No começo de 2014, estávamos esperando crescimento mais próximo dos 20%, mas o mercado também projetava algo mais próximo de 15% e vai ser mais perto de 10%”, afirma Vidigal Filho, em entrevista à Apólice.

Até mesmo os números das se¬guradoras associadas a bancos, cujo potencial de vendas de seguros é maior devido à base de clientes a ser explora¬da, foram impactados. A Bradesco Se¬guros elevou seus prêmios na primeira metade do ano em 5,2% ante um ano, para R$ 25,4 bilhões. O desempenho ficou abaixo da meta (guidance) para 2014, que é de expansão de no mínimo 9% e no máximo 12% que, a despeito do menor crescimento, foi mantida. Já a BB Seguridade, holding que controla os negócios de seguros do Banco do Brasil, não alcançou três das cinco projeções estabelecidas para este ano. Embora não as tenha revisado para baixo, a companhia admite que será difícil alcançar o teto e até mesmo o centro dos guidances neste ano.

A desaceleração do mercado de seguros, porém, não impediu a agência de classificação de risco Moody’s de reiterar perspectiva estável para o setor nos próximos 12 a 18 meses, em rela¬tório ao mercado. Pesou para a análise da classificadora os melhores padrões de solvência do segmento e ainda a qualidade dos ativos. Para 2015, a Moody’s vê aceleração moderada da economia brasileira que deve apoiar a expansão de áreas de seguros mais correlacionadas com o desempenho do PIB como patrimônio e responsabili-dade civil (P&C, na sigla em inglês), produtos de pessoas como seguro de vida e previdência privada e também títulos de capitalização.

“A classe média em expansão continuará a ser um fator-chave para o mercado segurador brasileiro. Como os consumidores se beneficiaram do aumento do poder de renda, muitos começaram a comprar produtos de seguro pela primeira vez para proteger bens recém-adquiridos e buscar um futuro mais estável para as suas fa¬mílias”, avaliam Diego Kashiwakura, Nicole Salum, Alan Murray e Robert Riegel, da Moody’s.

Especificamente no setor de pre¬vidência, que na opinião do superin¬tendente da Susep, é uma das avenidas de crescimento do mercado de seguros brasileiro, há uma recuperação gradu¬al, passados os reflexos das mudanças nas regras de alocação de recursos e do patamar dos juros. No primeiro semestre, o segmento fechou com cap¬tação líquida quase 13% menor que em idêntico período do ano passado, para cerca de R$ 17,1 bilhões. Em novos depósitos, o recuo foi menor, de 2,9%, para R$ 37,5 bilhões, o que motivou a Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (Fenaprevi) a manter a projeção de crescimento de 10% neste ano. Para Osvaldo Nascimento, presidente da entidade e diretor supe¬rintendente da Itaú Vida e Previdência, este avanço, se alcançado, é “bastante robusto”. Ele lembra que a base mais fraca de comparação no segundo se¬mestre deste ano frente 2013 é ainda o tradicional impulso da dedução fiscal que alavanca a captação do segmento neste período.

Um produto no segmento de pes¬soas que contribuiria para arrefecer os impactos da desaceleração econômica no mercado de seguros, conforme Westenberger, são os seguros para fun¬dos de pensão ou previdência privada aberta, os chamados annuities. Com pouca presença no Brasil, essas apóli¬ces transformam as reservas poupadas para a aposentadoria em um seguro com recebimentos mensais durante certo período ou em renda vitalícia. Neste momento, a Susep está criando um grupo de estudos, juntamente com fundações e seguradoras, para esta¬belecer uma família de produtos que impulsione a modalidade no Brasil. Soluções como os annuities e o uni¬versal life, seguro de vida no qual o beneficiário recebe o capital em vida, são caminhos, na opinião de executivos do setor, para deslanchar o segmento de pessoas no Brasil que também atraves¬sa um momento difícil depois de anos de polpudos crescimentos.
Financeiro

Se do lado das vendas o crescimen¬to do mercado de seguros foi compro-metido, do financeiro as seguradoras não têm do que se queixar. Depois de verem esta linha minguar com a redu¬ção dos juros no Brasil, as companhias de seguros estão tendo um impulso nas receitas com a retomada das taxas à casa de dois dígitos, a despeito de um mercado ainda volátil, na opinião de executivos do mercado. No primeiro semestre, o resultado financeiro das seguradoras cresceu 34%, para R$ 14,5 bilhões ante R$ 10,8 bilhões registrados um ano antes, conforme dados da Susep. Em igual período de 2013 comparado a 2012, o setor havia registrado queda de 25% nesta linha. Desta vez, porém, a folga no mercado financeiro não está levando as segura-doras a adotarem políticas mais frou¬xas na análise e aceitação de risco em market share. Além do cenário incerto do ponto de vista político e, conse-quentemente, econômico, o aumento da sinistralidade maior que o esperado em algumas carteiras e regiões fazem com que, segundo executivos do setor, as seguradoras permaneçam mais con¬servadoras quando o assunto é preço. A política de subscrição de risco mais rígida associada a um melhor resul¬tado financeiro deve impulsionar o crescimento de algumas companhias acima do desempenho do mercado de seguros. É o caso da japonesa Tokio Marine. “Não tem segredo. A venda mal feita hoje vai lhe custar caro daqui um ano. Estamos trabalhando fortemente na melhoria dos processos internos da companhia com o objetivo de errar menos e simultaneamente melhorar a produtividade da compa¬nhia”, diz o presidente da Tokio, José Adalberto Ferrara.

A seguradora espera que seus prêmios cresçam acima de 20% neste exercício na comparação com 2013, para R$ 3,2 bilhões. A projeção inicial era entregar montante de R$ 3 bilhões. Ferrara se diz otimista com o desem¬penho do setor a despeito das indica¬ções de deterioração nos índices de desemprego e ainda inflação elevada, dois fatores que afetam diretamente o desempenho do setor. Sustentam sua visão, conforme ele, as oportunidades existentes no setor de grandes riscos e na nova classe média, que tendem a garantir que o mercado de seguros te¬nha um crescimento descolado do PIB local e de dois dígitos nos próximos anos. É com base neste cenário que a companhia quer ocupar mais espaço no Brasil. Sua meta é chegar em 2017 com R$ 4,7 bilhões em prêmios, com crescimento entre 50% e 70%, diante da expansão média anual de 10% do mercado.

 

case premiado | Admix
Programa de Qualidade de Vida – Gestantes
No cenário atual de terceiriza¬ção da gestão dos benefícios, as áreas de recursos humanos das empresas do comércio varejista possuem grandes desafios em face da alta rotatividade dos seus pro fissionais, decorrentes do seu ramo de atuação, e buscam parceiros estratégicos que consigam potencializar os recursos investidos em saúde, proporcionando economia para o negócio e satisfação para o colaborador.

O desafio de estruturar um projeto alinhado com as especificidades das empresas do comércio varejista foi pautado por duas premissas: a presença geográfica da empresa espalhada em diferentes Estados, o que requer um mapeamento aprofundado dos perfis de cada unidade, e o sistema de gestão do negócio, no qual as diretorias são autônomas e cada líder determina suas ações específicas.

O trabalho inicial da Admix con¬sistiu em ouvir as necessidades dos ges¬tores e colaboradores de cada região, em parceria com RH. Nesse cenário, observaram-se também as diferentes operadoras de saúde corporativas ou operadoras locais.
Evolução da parceria e ampliação dos investimentos na saúde e no bem-estar do time

A Admix auxiliou no processo de elaboração de planos de ação e no apoio às iniciativas idealizadas por essas empresas. Nesse contexto, são considerados mais relevantes: a realização das Semanas Internas de Prevenção de Acidentes de Trabalho (SIPATs), screening de saúde, pro¬grama de gestantes, ginástica laboral, entre outros.

O Programa de Acompanhamento às Gestantes tem como objetivo moni¬torar o desenvolvimento da gestação e o período pós-parto, apoiar as gestantes para agendamento de consultas, exames e outros procedimentos, diminuir a in-cidência de patologias e prematuridade no período gestacional e internações no primeiro ano de vida do bebê, além de dar dicas e orientações sobre possíveis contratempos da gravidez.

A evolução dessas parcerias (Ad¬mix, Operadoras e Clientes) resultou em lançamentos em diferentes e personalizados Programas de Quali¬dade de Vida, com vistas à ampliação das ações de saúde e bem-estar das empresas e ao estabelecimento de um diferencial competitivo diante do mercado: posicioná-las como empre¬sas varejistas instaladas no Brasil a ter um programa homologado pela Associação Brasileira de Qualidade de Vida (ABQV).
Programa de Qualidade de Vida

O conceito do programa preconiza o encorajamento e o apoio a hábitos que propiciem saúde e bem-estar para os colaboradores e seus familiares. O programa foi alicerçado sobre os pilares: da sustentabilidade em longo prazo, da elevação da produtividade da empresa e ampliação da integração entre os colaboradores.

Durante as ações ao longo desse ano, serão promovidas atividades com foco em saúde e bem-estar, como exemplo saúde do homem, saúde da mulher, projeto Momento Saúde – dicas e orientações semanais aos colaboradores, por meio de palestras, informativos impressos e screening de saúde.

O comitê responsável pelo projeto conta com membros das áreas de re¬cursos humanos dos clientes, Admix e das equipes médicas, assistente sociais de ambas as instituições. Esse time trabalhará permanentemente pelo au¬mento da satisfação e do engajamento do capital humano.

 

case premiado | Ameplan
Gestão Profissional: paixão e resultados
Fundada em 1992 pelo Dr. Ali Hussein Ibrahin Taha, a Ame¬plan Assistência Médica está no mercado de saúde suple¬mentar há mais de 22 anos.

Neste período, graças ao espírito empreendedor do seu fundador, a empresa apresentou grandes avanços, mas, a implementação da Lei 9656/98 e as normatizações da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) exigi¬ram que fosse introduzido um novo modelo de governança corporativa na organização.

O processo de implementação de ações de mudanças foi um projeto corporativo irreversível, pois era necessário mudar para crescer.

O Projeto “Ameplan – Gestão Pro¬fissional, Paixão e Resultados”, implan¬tado há quatro anos, teve seu primeiro ponto culminante de sucesso em 2013, com seis pilares: o reposicionamento da marca no mercado; crescimento da carteira de beneficiários; aumento do ticket médio de vendas; especialização dos colaboradores; redução de custos e garantia de atendimento de qualidade aos beneficiários.
Reestruturação

A Ameplan foi submetida a um processo de gestão moderno e dinâ¬mico, com a implementação de ações inovadoras envolvendo a criação de vários comitês, que utilizam as inte¬ligências e expertises das pessoas da empresa, para a solução de problemas cotidianos.

Alguns departamentos foram eliminados ou reposicionados e os pro¬cessos de redução de despesas foram ousados e abrangeram todas as áreas, sendo que, nesse momento, todos os contratos coletivos por adesão e em¬presariais com ticket muito baixo pas¬saram por uma profunda readequação.

Uma nova plataforma de tecno¬logia de informação foi instalada, permitindo total integração de todas as áreas da operadora.
Resultados Obtidos

Com a reestruturação, a equipe se mostrou mais comprometida e motivada com o projeto, apresentan¬do crescimento de 19,5% da carteira de beneficiários em 2013, além do crescimento do faturamento em 35% em 2013.

A carteira revista atingiu 65% em sinistralidade, já as despesas adminis¬trativas foram reduzidas em 15% das receitas.

Houve também a diminuição em torno de 22% dos e-mails enviados, com redução de pelo menos 30% no uso da rede de T.I., diminuindo em 20% no número de cópias e impressões e 60% das emissões de 2ª via de boletos.

Os contratos com médicos e pres¬tadores da rede credenciada foram revisados, assim como o ticket médio de vendas, readequado de R$ 70,00 para R$ 86,00 per capita. Redução do absenteísmo nas consultas de 30% para 15%, ajuste e equacionamento das comissões das corretoras e também a criação da Ou-vidoria Ameplan, com redução de 68% nos índices de reclamações na ANS.
Ações em andamento e previsões

Implantação do Portal Digital Ameplan em julho deste ano para mar¬cação de consultas na rede referenciada diretamente pelo site, sem burocracias. Construção de nova sede administra¬tiva própria. Controle gerencial de clínicas e hospitais por áreas.

Para o período entre 2014 e 2015, há aprimoramento da qualidade no atendimento.

1. Gestão e Tecnologia – Business Intelligence
2. Aprimoramento do Controle de Riscos Assistenciais
3. Programas de Medicina Pre¬ventiva
Conclusão

A “Gestão Profissional, Paixão e Resultados”, propiciou expressivos ganhos de mercado e nova cultura na Ameplan, com profissionais mais vibrantes, apaixonados e comprome¬tidos, com novos processos, novos produtos, customização de sistemas de tecnologia personalizados, atingimento de metas comerciais e operacionais.

Um logotipo próprio e especial foi criado para ilustrar as pautas e mate¬riais das reuniões, para ficar marcado que hoje a Gestão Profissional na Ame¬plan esta implantada e incorporada definitivamente na atuação de todos seus colaboradores.

 

case premiado | Berkley
Destaque em sinistralidade na carteira de Transportes
A Berkley International Brasil é uma segurado¬ra voltada a segmentos diferenciados, como Ris¬cos Financeiros (Garantia e Fiança Locatícia), Ramos Diversos (Riscos de Engenharia, RD – Equipamentos/Benfeitorias e Eventos), Casual¬ty (Responsabilidade Civil Geral, Responsabilidade Civil Profissional e D&O) e Transportes (Nacional e Internacional).

A companhia registrou, no último ano, índice de sinistralidade na car¬teira de Transportes inferior à média registrada pelo mercado de seguros, conforme dados da Susep. Enquanto a companhia apresentou 42% de sinis¬tralidade ao longo de 2013, o índice médio do segmento atingiu 59%.

Para coberturas relacionadas ao transporte de cargas, a seguradora ofe¬rece um sistema eletrônico de averba¬ção, atendimento nos principais portos e aeroportos nacionais e internacionais, equipe técnica especializada focada na agilidade para contratação, emissão e liquidação de sinistros, assim como assistência 24 horas nas estradas em todo território nacional.

De acordo com o diretor de Transportes da Berkley, Sidney Cesare Junior, a premiação reflete diretamente na performance positiva da companhia, que tem focado seus investimentos em serviços diferen¬ciados.

A companhia conta ainda com a atuação de profissionais especializa¬dos em seguro de transportes locados na estrutura de vendas, com poder de decisão, para auxiliar nas demandas dos corretores de seguros e manter a rapidez no atendimento. A segura¬dora tem investido em tecnologia e na contratação de colaboradores com experiência de mercado para elevar o potencial de todos os segmentos.

 

case premiado | Brasil Assistência
Inovação em Assistência Residencial
Como exemplo dos esforços em inovação de produtos, focados em atender os clien¬tes de forma diferenciada e sintonizada com suas necessidades e tendências dos consumidores, a Brasil Assistência apresenta o case Assistên-cia Residencial, com 27 tipos de ser¬viços inclusos, lançado e implantando em maio de 2013.

Outro destaque é que, na Grande São Paulo, os serviços são feitos pela frota da própria companhia, com pa¬drão de excelência no atendimento, treinamento constante e qualidade nos serviços, cada vez mais reconhecidos pelos clientes e mercado.

Descarte Inteligente: envio de profissional para o descarte de móveis, equipamentos eletrônicos e eletro domésticos, seguindo as práticas de sustentabilidade e normas vigentes.

Dedetização: envio de profissional para a dedetização, desratização e descupinização da residência assistida.

Consultoria e Orientação Am¬biental: disponibilização sempre que o usuário necessitar, orientações e dicas, por site ou e-mail, para manter a sua residência nas melhores práticas da sustentabilidade.

Todos os serviços estão disponí¬veis para casa e apartamento.

Destaca-se ainda outro diferen¬cial do produto: todos os serviços não possuem limite monetário, somente limitação de intervenções durante a vigência da apólice.

Abaixo seguem todos os 27 ser¬viços do plano:

1. Chaveiro;
2. Encanador,
3. Eletricista;
4. Vidraceiro;
5. Desentupimento,
6. Linha Branca – Conserto de apa¬relhos;
7. Assistência em antenas (Exceto TV a cabo e paga);
8. Instalação de olho mágico e vedante/rodo para porta de entrada (barrado); e lubrificação de fechaduras e dobradiças;
9. Cobertura provisória de telhados, serviço de vigia, indicação de profis-sionais;
10. Fixação de prateleira, varal, varal de teto, quadros, persianas, ganchos, suporte para TVs e para tornos de mi¬croondas, itens de utensílio e itens de decoração;
11. Instalação de varão e trilho de cor¬tinas, instalação de ventilador de teto;
12. Substituição de lâmpadas e reatores;
13. Instalação de tomadas, interrup¬tores e extensões;
14. Instalação de luminárias, lustres e spots;
15. Instalação de pias, pias sobrepos¬tas e tanques;
16. Limpeza de ralos, sifões, subs¬tituição de torneiras e misturadores,
17. Avaliação elétrica;
18. Avaliação hidráulica;
19. Locação de caçamba;
20. Substituição de telhas;
21. Limpeza de caixa d’água;
22. Limpeza de calhas;
23. Caça-vazamentos;
24. Conversão de fogões (gás).

Coberturas que são diferenciais e exclusivas dos planos Brasil As¬sistência:
25. Dedetização, desratização e descupinização,
26. Descarte inteligente:
27. Consultoria e orientação am¬biental.

 

 

case premiado | Capemisa Seguros
Bilhete Premiável
A Capemisa Seguradora que, comprometida com a vida dos brasileiros há 54 anos, nasceu com o objetivo de sustentar uma obra social, utiliza o lema “A mão que arrecada e a mão que distribui trabalham em harmonia”. A empresa é pioneira no desenvolvi¬mento de ações sociais no país, tendo o Lar Fabiano de Cristo como o principal motivador da criação da Capemisa Social. Só em 2013, por exemplo, a instituição assistiu a mais de 7,4 mil famílias, com o repasse do resultado da seguradora.

Além de oferecer soluções de capitalização, planos de previdência e seguros e focar no atendimento ao cliente – desde a excelência no serviço, facilitando o acesso ao seguro a todas as classes sociais, até o investimento em tecnologia de ponta –, a compa¬nhia consolida seu espaço no mercado segurador ano a ano com a aposta em produtos inovadores e adequados às necessidades de cada cliente.
Abrangência

A marca e os produtos da Cape¬misa Seguradora são representados por mais de quatro mil corretores de seguros em todo o Brasil. Além da folheteria institucional impressa, os profissionais do setor têm à dis posição informações no Portal do Corretor e contam com o suporte de uma equipe comercial.

Com um portfólio que varia desde produtos já reconhecidos no mercado e soluções sob medida para empresas, a seguradora teve faturamento de R$ 1,7 bilhão em 2013, resultado de seus ne¬gócios em capitalização, previdência privada e seguros. O número também confirma a predisposição da compa¬nhia em investir e, consequentemente, em crescer: sua carteira de investi¬mentos, que no último ano chegou a R$ 1,031 milhões frente aos R$ 896 milhões de reservas técnicas, mostra a capacidade financeira da empresa em garantir reservas.
O produto, seus benefícios e resultados

Seguro de acidente pessoal, o Bilhete Premiável Capemisa pode ser contratado por pessoas com idade entre 14 e 80 anos com um único pagamento anual, a partir de R$ 29,90, via boleto bancário ou débito em conta. Além da proteção e da segurança, o cliente pode participar ainda de sorteios semanais de R$ 4 mil com até seis números da sorte e escolher entre as opções de capital segurado, que variam de R$ 10 mil a R$ 50 mil.

Quem adquirir o Bilhete Premiá¬vel tem como garantia a cobertura de morte acidental e invalidez total ou parcial por acidente. Já ao corretor, os benefícios ficam com o comissio¬namento diferenciado, no valor de R$ 1 mil por cada cliente contemplado pelo sorteio.

Desde o lançamento do produto, em 2011, 288 pessoas foram con¬templadas pelos sorteios. No mesmo período, foram comercializados cerca de 55 mil bilhetes, somando assim um prêmio líquido que ultrapassa o valor de R$ 1,5 milhão. Para este ano, a Ca¬pemisa tem como meta comercializar 4 mil contratos mensais.

 

 
case premiado | Europ Assistance
Plano de atendimento para Copa 2014
Com a expectativa de receber mais de 600 mil turistas es¬trangeiros e um total de 3,7 milhões de pessoas circulando pelo país durante a Copa do Mundo, a Europ Assistance Brasil pôs em prática um plano específico para o período do evento. O principal objetivo da série de ações foi garantir atendimento rápido e efetivo para seus clientes em todas as cidades-sede, em casos de necessidade de acionamento de reboque, mecânico, chaveiro, táxi ou carro reserva.

Com cerca de dois meses de an¬tecedência, a empresa se empenhou para ampliar a rede de prestadores de serviços, principalmente em cidades com pouca estrutura e desenvolveu escalas para que os serviços estives¬sem disponíveis nos 30 dias de evento. Além disso, realizou visitas às cidades¬-sede para garantir a capilaridade de todos os serviços, como por exemplo, a disponibilidade de carros reserva e vans para locação.

Outra ação importante foi a ges¬tão de frotas de reboque. Primeiro, a companhia fez um mapeamento das zonas de alta probabilidade de ocor-rências e posicionou estrategicamente os veículos de reboque nas principais vias de acesso aos estádios que rece¬beram os jogos. Para atender ainda uma demanda específica, promoveu o cadastramento de vans que atuam como táxi.

Por ser parte de um grupo global pioneiro em assistência, a empresa pos¬sui a expertise necessária para atender tanto os brasileiros como os estrangei¬ros em um evento tão grande e com alta demanda. Em casos emergenciais, os clientes podem utilizar a infraestrutura disponibilizada pela Europ Assistance Brasil e a ampla rede de prestadores qualificados. Para a Europ, o impor¬tante foi garantir a tranquilidade de forma que todos pudessem aproveitar momentos como esse e construir belas lembranças da Copa do Mundo no Brasil, sem ter preocupações. Afinal, essa é a sua missão: “You live, we care”.

Houve um aumento da frota em São Paulo com o efetivo nos dias de jogos em 25%, e nas demais capitais em 20%. Além disso, foi estruturada uma equipe de contingência de 15% das viaturas disponíveis em espera, caso ocorresse um desvio.

Durante a Copa não aconteceu nenhum caso pontual. Todos os aten¬dimentos foram efetuados dentro do prazo e com a satisfação do cliente, principalmente com um cliente em especial, que teve 30 carros de luxo disponibilizados para a delegação alemã e duas vans todo o trajeto da delegação foi monitorado até o final de sua estadia no Brasil, para que não ocorresse nenhum caso fora da curva, com feedback extremamente positivo do cliente institucional.

• Know How – adquirido na Copa da África do Sul, atuou tanto na prevenção como nos atendimentos emergenciais;

• Atuação com todo o contingente de via¬turas nas 12 capitais onde ocorreram jogos da Copa;

• Elaboração da ZAP – (Zona de Alta Proba¬bilidade) para posicionamento estratégico das viaturas e assertividade nos possíveis atendimentos;

• Elaboração de Dimensionamento, que é um cálculo estatístico baseado em períodos anteriores, com o qual conseguiu ter um mapa térmico de serviços por região, e as¬sim alocar de forma preventiva as viaturas;

• Equipe Dedicada 24 horas por dia ao monitoramento e auxílio aos prestadores envolvidos na operação Copa;

• Mais de 80% das viaturas contêm GPS que ajudam a agilizar o atendimento e melho¬rar o tempo médio de chegada ao cliente;

• Jogos do Brasil tiveram plantões especiais da equipe “in loco” na empresa para atendi¬mentos preventivos e emergenciais;

• Atuou com 100% do contingente de prestadores em escala no período da Copa e em especial em dias de jogos, os veícu¬los estavam disponíveis 4 horas antes do evento e permaneciam até 2 horas após o termino da partida, aguardando a vazão dos veículos.

 

case premiado | Minuto Seguros
Blog da Minuto
Quando se fala sobre segu¬ros, por vezes o cenário é de muitas dúvidas para o interlocutor. Comprar uma apólice pode parecer simples, mas entendê-la é um estágio que exige bastante esforço e conhecimento.

O mercado de seguros é recheado de termos complexos. Um contrato possui detalhes minuciosos e se infor¬mar sobre seguros nem sempre é um exercício simples, como ler uma revista ou um jornal esportivo.

Com o intuito de levar mais co¬nhecimento ao público e ao mercado, a Minuto Seguros criou o Blog da Minuto – um espaço voltado para consumidores, futuros clientes e inte¬ressados no assunto.

No blog, o usuário encontrar in¬formações que envolvem os principais seguros que a Minuto oferece. Novida¬des do mercado, curiosidades, notícias de tecnologia e dicas úteis são outros temas abordados.

É também o espaço de divulgação da própria corretora, abordando as con-quistas de prêmios, os acontecimentos marcantes e a presença na imprensa, colaborando com importantes veículos direta ou indiretamente com opiniões ou estudos sobre o mercado.

O leitor pode aprender com o Blog da Minuto um pouco mais sobre o mundo dos seguros. Na categoria “Dúvidas”, posts explicativos são fei¬tos para esclarecer mais sobre termos frequentes da área. Vídeos análises também são publicadas, oferecendo uma nova forma de aprendizado.

Além das dúvidas e da área de imprensa, o leitor encontra no blog as categorias:

Carro – informações relevantes, novidades e dicas úteis para os donos de carro, sempre lembrando a impor¬tância de ter um seguro auto;

Residencial – coleção de posts sobre o lar, com dicas de segurança, manutenção e até decoração;

Viagem – Veja locais impressio¬nantes para se conhecer e tudo que envolve o seguro viagem;

Pet – Dicas para cuidar de seu cachorro e informações curiosas, além de mostrar o benefício do seguro pet;

Eletrônico – Informações impor¬tantes sobre segurança de eletrônicos e novidades tecnológicas reunidas nessa categoria;

Seguros – Assuntos que englobam o mercado de seguros, não necessaria-mente falando de um produto específico.

A companhia planeja continuar crescendo e contar cada vez mais com a participação da audiência no conteúdo produzido. Novas ideias estão sendo pensadas para que o Blog da Minuto conquiste cada vez mais espaço na Internet.

 

case premiado | Mitsui Sumitomo
Crescimento aliado à gestão ativa de vendas
Com a causa “Juntos pela Excelência”, a Mitsui Sumi¬tomo Seguros assumiu um trabalho fundamentado em tornar a companhia reconhecida como uma empresa que provê soluções de seguros, intensificando os negócios por meio de um relacionamento de longo prazo, adquirindo assim a con¬fiabilidade do mercado.

Na liderança desse projeto, Hélio Kinoshita, vice-presidente de opera¬ções desde 2012, procurou reverter números negativos, estabilizar as operações e engajar os colaboradores. Para ele, o início foi difícil, com uma imagem no mercado segurador não condizente à do Grupo no mundo. Então, decidiu mudar o modo da se¬guradora agir.
Passo a passo da transformação

O primeiro passo para a mudança foi estabelecer o foco no crescimento de negócio. A Mitsui Sumitomo in¬tensificou investimentos em capital humano e tecnologia e foi em busca de soluções que promovessem melhorias contínuas nas operações básicas de seguros, com o objetivo de estreitar o relacionamento com o cliente. Para viabilizar essa transformação, fez par¬ceria com a CI&T, uma multinacional brasileira especializada no desenvol¬vimento e manutenção de sistemas.

Em seguida, foi o momento de, juntas, mapearem todos os processos de negócio da seguradora, identifican¬do os que requeriam mudanças.

Após entendimento inicial, foi implantado um sistema base, com o objetivo de potencializar a gestão ativa de vendas. O sistema escolhido para essa transformação disponibiliza um modelo analítico específico para seguros que, quando estruturado, per¬mite rápida ativação de valor na fase de implantação do produto, poder de interatividade com outras tecnologias e um processo de governança que define, acompanha e propõe ações de melhoria dos indicadores, ofere¬cendo suporte e desenvolvimento de aplicações. O processo teve início com a extração de dados dos legados para alimentar os indicadores de desempenho da operação atual da seguradora. Tais dados passaram por análises sofisticadas, sendo as infor¬mações disponibilizadas em painéis de controle executivos.

A seguradora implementou um “Comitê de Crescimento” para definir as estratégias táticas de crescimento, sendo auxiliado pelo painel de con¬trole para identificar as causas raízes e priorizar onde atuar. Uma vez iden¬tificadas as oportunidades, coube às equipes das áreas de negócio, projeto ou sustentação criarem rapidamente as soluções necessárias para validar as hipóteses levantadas.

Adicionalmente, foram implemen¬tadas melhorias na subscrição de riscos e nas atividades operacionais visando um melhor atendimento aos corretores e clientes. No varejo, a companhia ini¬ciou o relacionamento com assessorias a fim de intensificar os negócios nesse segmento.
Resultado: um progresso visível e mensurável

Logo após os primeiros meses de mudanças, os resultados foram visíveis, como a ampla disponibi¬lidade de informações para maior assertividade de ações da seguradora; eficiência na administração e aumento da expressividade de riscos corpo¬rativos; expansão na região de BH; reconhecimento por competência e maior confiabilidade por parte dos corretores; melhor rentabilidade (a sinistralidade em automóveis passou de 82%, em 2012, para os atuais 62%), melhor qualidade no serviço; amadurecimento e otimização das atividades de sustentação dos sistemas e desenvolvimento de projetos.

Nos próximos quatro anos, o ob¬jetivo é dobrar a receita no Brasil. Até 2017, a companhia espera estar entre as 10 maiores seguradoras na área de Grandes Riscos e Transportes.

 

case premiado | Neurotech
Soluções avançadas para automação de decisões
Pioneira no Brasil no desen¬volvimento de soluções para automação de decisões, a Neurotech foi criada em 2000 por um grupo de pesquisadores e ex¬-alunos da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Atualmente, a empresa atende 100 clientes em todo o país e conta com uma equipe de 140 funcionários.

A companhia oferece soluções analíticas para aprimorar o relacio¬namento entre empresas e clientes que atendem não só aos segmentos bancários, financeiros, varejistas e de telecomunicação, mas também às empresas do ramo de seguros. Um exemplo é a inteligência analítica (analytics) embarcada em plataforma de suporte à tomada de decisão (DSS), com modelos que empregam inteligên¬cia artificial e redes neurais – técnicas computacionais que apresentam um modelo matemático inspirado na estru¬tura neural de organismos inteligentes e que adquirem conhecimento por meio da experiência.

Todos estes serviços e produtos, combinados de acordo com as necessi¬dades de cada empresa, envolvem desde a precificação individual de um cliente até as etapas de sinistro e renovação e podem ser utilizados ainda como pro-cessos apartados ou de forma integrada aos sistemas de gestão e CRM.
Cenários, desafios e soluções

Como nos demais mercados, as seguradoras buscam empresas que as auxiliem no processo de inovação em modelagem de dados. As companhias deste ramo também possuem políticas estatísticas bem estabelecidas, porém muitas vezes concentram as decisões nas informações de suas bases inter-nas, dados cadastrais, pagamentos e sinistros. Por este motivo, o mercado tem como desafio conseguir explorar os dados estruturados e não estrutu¬rados tanto em suas bases internas quanto informações externas, de clientes e CPFs, endereços, transações e ocorrências não constantes em sua base de dados.

A Neurotech investe em soluções para o mercado de seguros criando inteligências que possibilitam a trans¬formação de registros de voz em texto para documentação e análise de risco de fraude em sinistros. Também desen-volve soluções de georreferenciamento para tratar o risco não só por CEP, mas por suas coordenadas. O modelo encon¬tra clusters de regiões de alto risco e combina com a distância entre o posto policial mais próximo, aglomerados subnormais, corpo de bombeiros, en¬tre outros pontos relevantes, cruzando informações para descobrir se há ano¬malia ou maior propensão ao roubo, furto ou fraude no endereço informado.

A proposta da empresa para o segmento em questão fica com a pla¬taforma Riskpack, um pacote que traz inteligência, processo e ferramentas flexíveis, modulares e independentes para gerenciar todo o ciclo de negócio e de gestão do cliente, além de tornar produtos e operações mais lucrativos, rápidos e monitorados. Dividida em módulos, a plataforma também previne fraudes cadastrais por meio de regras inteligentes e informações históricas disponíveis na própria empresa, assim como disponibiliza um painel executivo customizado com relatórios e indicado¬res para gerenciar o ciclo do segurado.

Para colher informações sobre o cliente e o mercado, as soluções consul¬tam dados de diversas bases externas, incluindo mais de 350 fontes como Receita Federal, Sistema Integrado de Informações sobre Operações Interesta¬duais com Mercadorias e Serviços (Sin¬tegra), Serasa, Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Agência Nacional de Telecomunicações (Ana¬tel), Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), entre outras.

 

 

 

 

case premiado | Nortix
Decodificador de Chassi Nortix
As montadoras sempre infor¬mam os dados de acordo com padrões fabris rela-cionados aos chassis que saem de suas linhas de montagem. Por outro lado, os órgãos oficiais que regulamentam ou controlam a frota cir¬culante estão sujeitos a erros ou ações praticadas pelos fraudadores.

Considerando que o número do chassi é a informação com maior incidência de equívocos na compo¬sição da apólice e dados do veículo, os erros – sejam eles de digitação ou provocados deliberadamente – cau¬sam grandes perdas às seguradoras. Foi criada, então, a decodificação de chassi: uma alternativa de verificação de baixo custo que visa reduzir perdas e aumentar lucros e pode ser aplicada sobre todos os veículos que ingressam na seguradora. A ação é realizada por meio de algoritmos próprios, tornando desnecessária a consulta a bases exter¬nas como Departamentos de Trânsito (Detrans) ou Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).

O Decodificador de Chassi Nortix permite às empresas do ramo realizar a interpretação do número do chassi conforme o correspondente padrão de fábrica da montadora. A emissão de propostas ao corretor é uma das situações em que o uso do produto também facilita o trabalho. Geralmente o profissional recebe da seguradora um programa próprio para emissão de propostas, na modalidade off-line. A decodificação pode ser incorporada a este sistema para validar o chassi digitado, permitindo que ele identifi¬que erros na digitação do número de chassi antes de remeter a proposta. Os programas de integração foram criados pela Nortix e já estão prontos para utili¬zação imediata, sem custos adicionais.

O Decodificador de Chassi Nor¬tix também permite que as propostas sejam preenchidas automaticamente, já que o sistema de emissão das se¬guradoras pode trabalhar de maneira a usar o número do chassi e, a partir dele, preencher automaticamente os demais dados do veículo baseados na decodificação correspondente.

Quanto à recepção de propostas, a decodificação do produto pode ser incorporada ao mecanismo de checa¬gem da apresentação nos sistemas de informação da seguradora, permitindo rejeitar propostas que cheguem com incorreções no chassi.

Na emissão de apólices, a decodi¬ficação pode ser acionada para realizar uma validação final sobre os dados que ali constam, fornecendo uma checagem adicional. E, por fim, a limpeza do ban¬co de dados de apólices, na qual todo o banco de dados vigentes da seguradora pode ser submetido ao decodificador para identificar quais apólices preci¬sariam ser retificadas por possuírem número de chassi inconsistente ou divergências entre marca/modelo.
Diferenciais

O Decodificador de Chassi Nor¬tix é o único registrado e patenteado no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), conforme certificado número 08120-1. O produto fornece ainda uma quantidade maior de res¬postas, além de indicar, com precisão, o Código FIPE associado ao veículo.

Com atualizações diárias – uma média de três ao dia –, o Decodifica¬dor é estável e sempre disponível aos usuários, 24 horas por dia, sete dias por semana; e realiza a decodificação de chassi antes mesmo de o veículo estar à venda no mercado e ser registrado no sistema Bin/Renavam, antecipando os lançamentos dos novos modelos.

 

 

case premiado | Odonto Empresas
Destaque no mercado de massificados
A Odonto Empresas tem in¬vestido constantemente nos últimos 20 anos para ofere¬cer os melhores serviços em saúde bucal do mercado. A companhia conta com uma rede de 18 mil opções de atendimento e cerca de oito mil dentistas altamente capacitados. Como resultado, a companhia cresceu 15% no ano passado em número de vidas e comemora a marca de 560 mil benefi-ciados em 2014.

O principal motor dessa ampliação é o canal massificado, feito sob medida para empresas que desejam aumentar a receita e fidelizar clientes. A estratégia de distribuição massificada da Odonto Empresas é baseada em três pilares: massa, meio e marca. Ou seja, para participar, a empresa precisa ter entre 10 e 15 mil clientes, meio adequado para abordá-los e uma marca sólida e prestigiada no mercado.

“Grandes varejistas, bancos, con¬cessionárias de serviços públicos e emissoras de cartões de crédito são exemplos de empresas com esses pré-requisitos”, afirma Julio Felipe, vice-presidente da Odonto Empresas.

O segmento do varejo, em es¬pecial, tem encontrado no modelo massificado uma oportunidade para aumentar sua receita e estreitar o re¬lacionamento com seus clientes, além de compensar o ritmo menor de vendas causadas pela desaceleração do con¬sumo no país. A ascensão das classes D e E também tem contribuído para o crescimento dos planos odontológicos, que entraram no hall dos produtos mais desejados dos brasileiros.

Outro importante diferencial é a customização. “Nossos produtos aparecem para os beneficiados com a marca da empresa parceira, que re¬cebe toda a consultoria de marketing, tecnológica e jurídica para estruturar a operação. Dessa forma, a implantação acontece de maneira ágil”, completa o executivo.

Toda a gestão da operação pode ser acompanhada em tempo real. A Odonto Empresas desenvolve para cada uma de suas parceiras uma pla¬taforma web específica, que permite acompanhar a evolução da carteira de clientes e receitas. A companhia tam¬bém realiza treinamentos constantes com a sua equipe, de modo que as empresas contem com o apoio de um time que entende as peculiaridades de cada parceiro.

 

 
case premiado | Pasi
PASI, o microsseguro do Brasil
Em 1989, o então corretor de seguros, Alaor Silva, per¬cebeu que a população de classes menos favorecidas estava desprovida da segurança pro¬porcionada por um seguro de vida. Observando este cenário, Silva criou o Plano de Amparo Social Imediato (PASI), idealizado com o propósito de resgatar a dignidade dos trabalhadores brasileiros e de suas famílias nas horas mais difíceis.

O PASI representa historicamente a origem do microsseguro no Brasil. No início, atendia 4.500 trabalhadores apenas em Minas Gerais, hoje está presente nas 27 unidades federativas, possui mais de 2,5 milhões de segu-rados (entre titulares e dependentes), mais de 20 mil empresas conveniadas e 300 entidades de classe parceiras. A meta é conseguir que o modelo idealizado pelo Plano beneficie 100 milhões de brasileiros por meio das convenções coletivas de trabalho – direta e indiretamente.

É possível afirmar que o PASI é um modelo de negócios sem pre¬cedentes, com um enorme impacto social. Atualmente, todo o histórico e informações coletadas permitem que o plano avance ainda mais para que, em breve, possa se reinventar e causar um impacto ainda mais surpreendente na sociedade.

Além do pioneirismo em atender a uma classe com quem ninguém queria trabalhar, o PASI também inovou em conseguir pagar as indenizações em até 24 horas após a entrega da docu¬mentação do sinistro.

O Plano de Amparo Social Ime¬diato não tem em sua carteira um perfil único de empresas clientes e disponibiliza planos para diversos modelos de corporações, indepen¬dentemente do porte. As cobertu¬ras existentes são tradicionalmente conhecidas pelo mercado, somados às coberturas e benefícios revolucio¬nários desenvolvidos pelo PASI nos últimos anos como cestas básicas entregues na residência dos benefici¬ários na ocorrência da morte do titular do plano, reembolso de despesas com rescisão trabalhista para a empresa em caso de falecimento do segurado – cobertura para invalidez congênita de filhos do segurado, que oferece as¬sistência para o tratamento da doença já existente no nascimento da criança – cobertura para invalidez por doença profissional,e a cesta natalidade, que fornece kits com alimentos e utensí¬lios para a mãe e o bebê, indispensá¬veis para ambos nos primeiros meses de vida do recém nascido.

Pioneiro e inovador, há 25 anos o PASI é o seguro de vida em grupo mais conhecido e recomendado do seu segmento de atuação. É possível citar vários estudos que referenciam o Plano como nos primórdios do mi¬crosseguro no Brasil, como o estudo realizado pelo Conselho Empresarial Brasileiro (CBEDS), o relatório Inter¬nacional do Centro de Regulamento e Inclusão Financeira (CENFRI), encomendado pela Escola Nacional de Seguros e pela CNseg e o relatório da comissão consultiva de microsse¬guros da Susep.

case premiado | ProPay
Visão estratégica na gestão integrada
A Decathlon surgiu em 1976, na França, e pertence à Rede Oxylane, companhia que, com 20 marcas pró¬prias e 668 lojas espalhadas por 25 paí¬ses, atua na concepção e na distribuição de artigos esportivos. Já no Brasil, onde atualmente possui 14 lojas e um armazém, a Decathlon marca presença desde 2001.

Estão entre os diferenciais da com¬panhia a variedade e o custo-benefício de seus produtos, assim como a equipe de vendas, que também trabalha como consultoria esportiva. Ainda entram para a lista de particularidades o ofe-recimento de oficinas, áreas de estudo e práticas dentro das próprias lojas. Com mais de 50 esportes oferecidos aos mais de 40 milhões de clientes, uma das principais características da empresa é a inovação e o desenvolvi¬mento, sempre promovendo a saúde e o bem-estar do esporte.

Para tudo funcionar, no entanto, a Decathlon conta com o apoio de 60 mil colaboradores que ocupam mais de 350 funções e oportunidades de carreira distribuídas por várias áreas em todas as unidades mundiais. Além disso, diversas filiais da companhia são orientadas para o B2B (criadoras de componentes técnicos, marcas e de produtos desportivos mundiais) e B2C (comércio local e on-line de produtos e serviços) tanto nos segmentos de distribuição, produção e logística quanto nos de informática, pesquisa e desenvolvimento.
Cenário

Até outubro de 2013, assim como em fevereiro deste ano, toda a gestão de benefícios e de folha de pagamentos da Decathlon era realizada pelo Departa-mento Pessoal (DP) interno da empresa. A migração aconteceu pela necessidade de ter um setor de Recursos Humanos (RH) mais estratégico, focado nas ações de retenção e atração de talentos e implantação de novas ferramentas de gestão de pessoas.

“Ao assumir a área, percebi que o turnover da empresa estava elevado e que precisávamos desenvolver, com urgência, ações para reverter este cenário. Foi quando decidi terceirizar a gestão de benefícios e, em seguida, a de folha de pagamentos”, conta Ralph Batista, gerente de Recursos Humanos.

O executivo lembra que, há cerca de dois anos, a Decathlon já havia terceirizado com outro fornecedor, mas por uma decisão estratégica en¬tendeu que a melhor alternativa era mesmo internalizar. “Desconstruí este pensamento quando mostrei os indi¬cadores e as necessidades de gestão de pessoas da empresa. Decidimos terceirizar novamente e nossa escolha foi a ProPay.”
Desafios, diferenciais e resultados

Ao assumir a conta da Decathlon, a ProPay esbarrou em dois desafios. O primeiro foi assumir a gestão in¬tegral dos processos, permitindo que o RH se tornasse mais estratégico para comandar a questão da folha de pagamento. Já o segundo envolveu a gestão de benefícios, quesito em que a necessidade se dava em diminuir tanto a insatisfação dos funcionários ao atual pacote de vantagens oferecido pela empresa quanto o custo da própria companhia. Apesar dos entraves, não demorou muito para que as metas fos¬sem alcançadas.

“A ProPay assumiu os processos brilhantemente, dando-nos mais liber¬dade para desenvolver novos projetos. Ela absorveu toda a demanda opera¬cional e o time de RH da Decathlon pôde pensar no estratégico”, declara o gerente.

Como resultado da parceria, a De¬cathlon obteve 20% de redução em seus custos operacionais, assim como um alto grau de satisfação dos funcionários com a adoção da nova operadora.

 

case premiado | Tempo USS
Há mais de 20 anos no mer¬cado, a Tempo USS é uma das principais referências em assistência no Brasil, tanto pela qualidade, quanto pela efi-ciência do atendimento. Mantém um time com mais de 1.700 profissionais dedicados a solucionar cerca de 500 mil chamados mensais. A companhia realizou em 2012 um amplo estudo para sua operação.

Nesse sentido, a companhia contratou uma consultoria especia¬lizada em gestão operacional, que desenvolveu um projeto com duração de mais de um ano e foi dividido em três grandes fases: investimento em infraestrutura, ações voltadas para a equipe e avaliação de resultados. Sete áreas foram incorporadas: Gente e Gestão, Telefonia e TI, Planejamento Operacional, Treinamento, Gestão do Contact Center, Ações de Clima Corporativo e Ações de Clima na Central de Atendimento.

O primeiro passo foi investir na contratação de serviços de telefonia de alta performance, proveniente da Avaya, e no aumento da capacidade de armazenagem dos atendimentos telefô¬nicos, utilizando o sistema da Oracle, totalmente integrado com a plataforma SAP. Dessa forma, a área de Qualidade passou a contar com maior confiabili¬dade e apurações imediatas. O mesmo conjunto de iniciativas também deu mais agilidade à implantação de novos produtos e clientes.

A área de Planejamento de Con¬tact Center foi criada exclusivamente para a revisão constante dos processos de atendimento, criação de scripts, controle de procedimentos-padrão, comunicação com a operação e gestão de campanhas internas.

Como eixo de sustentação do negócio, os analistas de atendimento receberam atenção especial. A área de Recursos Humanos repaginou o processo de seleção, que originou contratações mais assertivas. Foram oferecidos ainda reajuste salarial, PLR e possibilidade de plano de car¬reira. Além disso, foram realizados treinamentos de Língua Portuguesa e palestras com fonoaudiólogos, tudo para garantir a eficácia de cada etapa, resultando em qualidade e excelência no atendimento final.
Ações de clima

A Tempo USS acredita que, para ter um ambiente de trabalho produtivo e colaboradores motivados, é preciso investir em qualidade de vida e bem estar. Por isso, o programa +PIQ pro¬move ações personalizadas como a Semana da Saúde, a SIPAT e a Copa Tempo de Futebol Society. Outro quesito prioritário na empresa é a in¬tegração entre os colaboradores, com cafés da manhã temáticos e presença da diretoria. O programa promove ainda ações de voluntariado e busca facilitar o acesso dos colaboradores a faculdades e cursos de idiomas por meio de convênios.
Resultados

Como resultado dessas ações, a Tempo USS conseguiu melhorar em 30% o índice de absenteísmo e em 10% o turnover de analistas com relação ao ano anterior. Além dos im¬pactos positivos para a área de Gente e Gestão, o conjunto dessas iniciativas resultou em uma melhora de 30% no IDSAC, índice de reclamações que mede a qualidade do serviço prestado. Vale ressaltar ainda que três clientes importantes foram conquistados du¬rante o primeiro semestre de 2014, indicando que as mudanças propostas pela Tempo USS estão sendo valori¬zadas pelo mercado.

 

case premiado | Vayon
Plataforma de e-commerce para seguros
O e-commerce de produtos apresenta vários desafios como preço, estoque, pra¬zo de entrega, condições de pagamento, reputação da loja, frete, política de devolução e troca. Todos eles influenciam o cliente a finalizar o ciclo de compra. Porém, muitas vezes ele já tem o desejo de adquirir o produto ou então o inte¬resse é despertado com uma bela imagem da mercadoria no site.

No e-commerce de seguros não há os mesmos desafios como o de produtos, mas sim o desafio inicial de despertar a necessidade e o desejo no cliente em adquirir o seguro. Como fazer isso no mundo virtual e levá-lo a finalizar a compra do seguro pelo site?

Uma loja virtual de seguros começa com a compreensão das características distintivas do servi¬ço, assim como sua invisibilidade, intangibilidade e seu vocabulário particular. Design, contéudo, formu¬lários inteligentes, integração com meios de pagamento e segurança são requisitos essenciais para o sucesso no e-commerce de seguros e, neste sentido, a plataforma da Vayon pro¬vê muito mais que um formulário de contratação online. Ela coloca o conteúdo dos produtos em primeiro lugar, disponibiliza um design ino¬vador e adequado para comunicação com o cliente, desperta o interesse e transmite a segurança necessária para que ele se sinta confortável e bem informado sobre o produto que deseja contratar.

A Vayon auxilia clientes e par¬ceiros em várias disciplinas, para desenvolver cenários que explorem as potencialidades do e-commerce de se¬guros e superem os desafios impostos pelas particularidades do ramo.

pesquisa | homenagem especial
Alexandre Camillo e Paulo Marraccini são reconhecidos por suas contribuições ao setor

Duas grandes personalidades do mercado foram contempladas com troféus por suas atuações para a disseminação do segmento
A conscientização de uma so¬ciedade sobre a importância de estar protegido por uma apólice de seguro passa por uma cadeia de players, que desempe-nham as funções mais diversas para que o produto desenvolvido chegue ao consumidor final com excelência. Seguradores e corretores se empenham para que esse processo aconteça da melhor forma possível.

Alexandre Camillo e Paulo Mar¬raccini são claros exemplos de dedica¬ção ao mercado segurador e, por isso, foram os homenageados da noite.

O primeiro a receber o troféu por seu desempenho no mercado, o corre¬tor Camillo, está no setor há 34 anos. Fundou a própria corretora de seguros em 1990 e tornou-se membro do Clube dos Corretores de Seguros de São Pau¬lo (CCS-SP) em 2000. Desde o início de 2014, ocupa o posto de presidente do Sincor-SP, que representa cerca de 50% dos corretores de seguros do País. “Como presidente do Sincor-SP, sinto- me imensamente lisonjeado por estar nesse início de gestão, no começo da minha missão, já sendo reconhecido como personalidade do mercado e re¬cebendo troféu nessa noite”, destacou o presidente da entidade. Camillo foi es¬colhido como homenageado justamen¬te por sua postura à frente da entidade e por seus esforços em melhorar o dia a dia do corretor de seguros, além de aproximar as entidades do setor.

Para encerrar a cerimônia, foi a vez de Paulo Marraccini ser re¬conhecido por sua contribuição ao mercado nos últimos 40 anos. Hoje, o segurador ocupa o posto de presi¬dente da Fenseg e reconhece o apoio que teve em todo o mercado para atingir a disseminação do mercado de seguros. “Queria compartilhar essa honra que está me sendo concedida com todas as pessoas que participam comigo. A diretoria da Federação, as comissões técnicas e o pessoal que tem me ajudado a fazer com que o mercado se desenvolva e ganhe uma nova faceta”, afirma Marraccini, que declarou sentir-se muito sensibiliza¬do com a homenagem. Outro ponto ressaltado pelo executivo foi como a noção de seguros se expandiu ao longo dos anos em que ele está no mercado, já que há alguns anos o mercado era voltado quase que exclusivamente à carteira de automóvel. Hoje, segundo Marraccini, o setor está diversificado e há muito mais espaço para seguros patrimoniais, residenciais, seguros de garantia, riscos de engenharia e de grandes obras.

“Tudo isso é um trabalho feito com mais de uma centena de profissionais do mercado que participam das comis¬sões da Federação. Meu primeiro agra-decimento vai para esses profissionais que ajudaram no meu trabalho nesse tempo em que presido a Federação”, complementa.

 

pesquisa | planos de saúde
Palavra de ordem: investimento

Amil aposta no pioneirismo e na capacitação de corretores para manter a confiança do mercado e dos clientes
Eleita como destaque nacional na categoria Plano de Saú¬de pela pesquisa do Prêmio Melhores do Seguro 2014, a Amil atua no Brasil há 36 anos e hoje atende 6,9 milhões de beneficiários de planos de assistência médica e odon-tológica, além de contar com filiais em Curitiba, São Paulo, Campinas, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Bra¬sília, Recife e Fortaleza.

Para Norberto Birman, diretor corporativo da empresa, a premiação é um reconhecimento do investimento constante do grupo, que utiliza recur¬sos de comunicação e tecnologia para que os corretores ofereçam o melhor serviço aos clientes. “A Amil tem nos corretores de seguros parceiros estraté¬gicos no trabalho de aproximação com clientes e beneficiários”, diz.

Somente em 2013, cerca de 9,7 mil corretores passaram por progra¬mas de capacitação oferecidos pela Universidade de Vendas da opera¬dora, que destaca o investimento em relacionamento com os profissionais por meio de campanhas de incentivo, cursos e aplicativos que os auxiliam na antecipação das necessidades dos clientes. “Continuaremos a investir na formação e na capacitação dos corretores para que desenvolvam um melhor entendimento dos fatores que contribuem para a saúde da população brasileira”, ressalta Birman.

Já para conquistar e manter a confiança do mercado e dos clientes, a receita, segundo o diretor, é ino¬vação e pioneirismo. Em sua estreia no mercado, em 1978, a Amil se saiu como a primeira operadora a oferecer consultas e exames sem limite. Quatro anos depois, foi precursora no mundo a criar um serviço de teleatendimento com médicos de plantão 24 horas. Já em 1993, a novidade ficou com o lançamento da Amil Resgate Saúde, serviço de transporte aéreo e terres¬tre com ambulâncias, helicópteros e jato equipados com o que há de mais avançado na medicina – serviço este que foi o primeiro fora dos Estados Unidos a receber certificação da Joint Commission International, instituição de avaliação mundial em qualidade médica.

Considerando o crescimento da demanda por serviços de saúde, Birman lembra que, mesmo com todos os retornos positivos que a companhia vem recebendo ao longo dos anos, é necessário sempre inves¬tir em inovação práticas e soluções tecnológicas que a possibilitem ofe¬recer aos clientes serviços eficientes e de qualidade. “A Amil continua a investir no aprimoramento das solu¬ções de assistência à saúde, seja por meio de ferramentas de tecnologia que permitem incrementar a gestão da saúde ou por meio dos recursos disponíveis em nossas instituições médico-hospitalares”, finaliza.

 

pesquisa | vida, previdência, saúde e capitalização
Destaque em diferentes regiões
O ano de 2014 foi de reco¬nhecimento para a Brades¬co Seguros. O Prêmio Me-lhores do Seguro entregou quatro troféus para a companhia, de acordo com a indicação feita por corre¬tores de seguros em pesquisa realizada pela Revista Apólice em parceria com a CVA Solutions.

Nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, o destaque da Bradesco Seguros ficou nas carteiras de Vida e Previdência. “Com o apoio do órgão regulador, a seguradora desenvolveu um projeto de simplificação da linguagem do seguro não apenas de Vida, mas de pessoas em geral”, explica Lúcio Flávio de Oliveira, presidente da área de Vida e Previdência da companhia. O executivo explica ainda que a seguradora tem se empenhado em aproximar o consumidor de seus produtos. “Lançamos, no início do ano, um novo sistema para facilitar a comercialização de seguros de vida, que agiliza o processo de digitação de propostas e pode ser acessado por meio do site 100% Corretor”. Nesse sistema o corretor informa o nome do cliente, a data de nascimento, sexo e valor do capital segurado, e o sistema apresenta todas as opções que se encaixam no seu perfil, listando produtos, coberturas, assistências e valor do prêmio para cada uma. O site é também uma maneira da Bradesco demonstrar o interesse em manter o bom relacionamento com o corretor que, em função de seu contato direto com o cliente e com as mais diferentes realidades socioeconômicas do país, também está apto a alimentar a seguradora com informações rele¬vantes, sobretudo no que diz respeito a processos e identificação de riscos.

“Em geral, os produtos de vida e de previdência possuem características mais de oferta do que de demanda. Nesse sentido, a principal missão das seguradoras e dos corretores é desper¬tar essa percepção nas pessoas, estrei-tar o relacionamento e tornar o produto mais tangível, acrescentando-lhe bene-fícios e serviços que agreguem valor”, comenta Oliveira.

Ainda sobre o segmento de Previ¬dência, o executivo evidencia o enve-lhecimento do País e como essa nova realidade exigirá cuidados especiais e planejamento que não são encontrados em nenhuma outra forma de investi-mento como na previdência privada. “A principal vantagem da previdência complementar é a de assegurar ao participante do plano uma reserva financeira capaz de suprir, ou pelo me¬nos reduzir, a diferença entre a renda que ele possuía na ativa e o benefício pago pela previdência pública, após a aposentadoria”, esclarece. A projeção para essas carteiras em 2015 é positiva e a Bradesco Seguros espera crescer nessas áreas.

José Sérgio Bordin, diretor gerente do segmento de Capitalização, comenta que “essa premiação coroa 30 anos de uma atuação transparente no segmento de capitalização”, complementando que é um “resultado direto, também, da alta capilaridade assegurada pela rede do Banco Bradesco, com milhares de agências e postos de atendimento bancário (Pabs), disponíveis em todo o território nacional”.

A mudança de aproximação com os clientes, oferece produtos cada vez mais adequados, com diferentes formas de pagamento, maiores prazos de contribuição, periodicidade dos sorteios e valor de premiação varia¬dos. “Esta fase foi marcada, principal¬mente, pela maior aproximação com o público, por meio da consolidação da família de produtos Pé Quente Bradesco, conta Bordin.

A carteira de Capitalização apre¬sentou um crescimento de 18,30% em 2014, comparada ao mesmo período de 2013. Por isso, Bordin afirma que o mercado está sendo ampliado e que percebe muito espaço para crescimen¬to, pois apenas 12% dos correntistas em banco possuem algum título de capitalização. A tecnologia deverá continuar sendo forte aliada. “Para se ter ideia, de janeiro a junho, a venda de títulos de capitalização por meio de internet banking, telefone e máquinas de autoatendimento representou mais de 12% da receita total do segmento, alcançando cerca de R$ 300 milhões”, ilustra o responsável pela carteira.

A recente regulamentação dos microsseguros, para Bordin, é uma oportunidade otimista em relação ao futuro, pois possibilitará a expansão do mercado e a exploração de novos canais de vendas e formas de comercialização.

Na carteira de saúde o destaque da Bradesco Seguros foi em âmbito nacio¬nal. Entre os produtos disponíveis estão o Meu Doutor, colocação de próteses, o projeto Segunda Opinião Médica, além do programa Juntos pela Saúde, e o Sistema de Informações Gerenciais (SIGE), que disponibiliza dados à área de recursos humanos. Com todos esses produtos, a carteira de Saúde da Bradesco Seguros cresceu 20,4% em relação ao mesmo período no ano anterior, e a expectativa é de continuar crescendo entre 18 e 20%.

“O segmento de saúde suplementar é pró-cíclico, ou seja, acompanha o comportamento da economia, crescen¬do ou decrescendo conforme os indica-dores de emprego, renda e produção”, pontua Marcio Coriolano, presidente da Bradesco Saúde. Para ele, o aumento da renda e do acesso das classes C e D ao consumo, o crescimento do emprego formal e a retenção de mão de obra pelas pequenas e médias empresas são fatores que sustentam o crescimento da economia devem manter o mercado de seguros, em particular o de planos de saúde, aquecido nos próximos anos.

Coriolano destaca ainda a impor¬tância das PME’s. Quando se trata da contratação de planos de saúde para funcionários, a expectativa de ter esses novos clientes é muito boa para a com¬panhia. “Essa expectativa também é resultado do investimento permanente em ferramentas modernas para a ges-tão integral da saúde dos colaboradores das empresas e no ótimo relacionamen¬to com os corretores”, afirma.

Para manter o destaque da compa¬nhia o principal canal de investimento é o corretor de seguros. “Por ser uma interface tanto da seguradora quanto do cliente, o corretor é peça fundamental para a consolidação desses conceitos na indústria de seguros, desempenhan¬do papel de consultor. Por essa razão, temos ampliado as oportunidades de parceria com os corretores no circuito empresas-seguradora e investido em tecnologia, para agilizar a troca de informações com esses profissionais”, finaliza Coriolano.

 

 

pesquisa | automóveis
Relacionamento estreito e produtos de qualidade
Foi na região Sul que a HDI Seguros iniciou suas atividades no Brasil, há mais de 30 anos. Apesar de ter fundado mais de 70 filiais e escritórios em diversas cidades do país durante essas três décadas, ainda é nessa região que a empresa continua a manter seu prin¬cipal mercado.

Apontada, pelo quinto ano con¬secutivo, como melhor seguradora de Automóveis Sul pelos corretores de seguros, de acordo com pesquisa feita em parceria com a CVA Solutions, a companhia preza pela conquista ofere¬cendo aos clientes produtos e serviços de qualidade, além de um relaciona¬mento diferenciado aos corretores, seus principais parceiros.

Para Flávio Rodrigues, vice¬-presidente comercial da HDI Seguros, receber o Prêmio Melhores do Seguro mostra o quanto as ações realizadas pela empresa tem sido efetivas em atender às expectativas do mercado. “O sucesso da HDI está intrinsecamente ligado ao sucesso dos corretores e, por isso, atuamos de forma a estreitar esse laço a cada dia”, declara.

Se hoje a HDI se destaca na ca¬tegoria, conquistar e sustentar este reconhecimento, por sua vez, deman¬da muitos esforços. Por este motivo, manter a qualidade dos produtos e seus preços competitivos adequados às exigências do mercado é um constante desafio que, segundo Rodrigues, faz com que a companhia esteja sempre atenta ao mercado tanto para aprimorar o que já é sucesso quanto para imple¬mentar novidades. Uma das novidades é o HDI Duo, produto lançado em 2013 que une seguro Auto e Residencial e foi responsável por um crescimento considerável das vendas da seguradora.

Além do crescimento em vendas proporcionado pelo HDI Duo, recente¬mente a empresa alcançou a marca 1,5 milhão de veículos segurados no país, além de alavancar 25,6% em prêmios emitidos ante um aumento do mercado de 12,2% – resultados que fizeram a companhia subir da sexta para a quinta posição no ranking nacional das segu¬radoras de autos, com 7,2% de market share. Para dar continuidade ao cená¬rio positivo, a HDI iniciou, no último mês de julho, a expansão da companhia no estado do Rio de Janeiro, com a abertura de três filiais localizadas em Campos dos Goytacazes, em Niterói e na Barra da Tijuca, respectivamente.

Rodrigues afirma que os números do mercado mostram que o país ainda tem uma imensa frota de veículos não segurados e que, a cada ano, mais motoristas optam por fazer seguro. Assim, mesmo em um cenário de que¬da na venda de veículos, ainda haverá campo para atuação do segmento. Mas para continuar “brigando” dentro do ramo de seguros Auto, se diferenciar dos concorrentes é essencial. “Para isso, investimos em constante melho¬ria dos nossos produtos e serviços”, completa.

 

pesquisa | resseguradora nacional
Pentacampeã

Companhia, que hoje atua como empresa privada, foi apontada como a melhor pelo 5o ano consecutivo
O IRB-Brasil Re permanece como uma referência de solidez e credibilidade para os seus clientes. Prova disso é que a companhia ocupa lugar de destaque no segmento Ressegura¬dora em âmbito nacional em todas as edições do evento.

Criada pelo então presidente Getú¬lio Vargas como empresa de economia mista, em 1939, hoje a companhia ope¬ra como empresa privada, sendo gerida pelas instituições financeiras Banco do Brasil, Bradesco, Itaú e Fundo de Investimentos da Caixa Econômica Federal. Com a mudança, ocorrida há 11 meses, a empresa alcançou mais rentabilidade, assim como mais com-petitividade e agilidade na tomada de decisões.

Desde que foi indicado pelos cor¬retores na pesquisa feita pela Revista Apólice em parceria com a CVA So¬lutions pela primeira vez, em 2010, o IRB-Brasil Re aperfeiçoou os serviços oferecidos, contribuindo no apoio ao desenvolvimento de novos produtos e mantendo a liderança como principal ressegurador atuante no mercado brasileiro.

“Esperamos manter a posição de liderança e continuar o processo de internacionalização, diversificando nosso portfólio de negócios em outros países, em especial na América Latina, oferecendo também suporte para as empresas brasileiras que seguiram o caminho da internacionalização”, diz Daniel Veiga, diretor de Subscrição/Riscos Especiais da companhia.

Somente no ano passado, o vo¬lume de prêmios líquidos emitidos pelo IRB-Brasil Re atingiu a marca de R$ 2,6 bilhões, valor correspon¬dente a um incremento de 12,1% em comparação com o montante obtido em 2012. Já quando o assunto é o resultado operacional, a empresa fe¬chou o período em R$ 282,1 milhões, atingindo assim um market share de aproximadamente 35% do mercado total de resseguros do Brasil.

Veiga declara que o corretor de seguros tem papel fundamental no desenvolvimento do mercado de seguros e de resseguros, seja na pres¬tação de serviços e escolha da pro¬teção adequada aos seus clientes ou, ainda, como importante indutor do fortalecimento e expansão do setor.

“O relacionamento do IRB Bra¬sil Re com os brokers reflete nossa preocupação com a agilidade no aten¬dimento e excelência na prestação de serviços ao corretor de resseguros, fortalecendo a parceria e o desen¬volvimento de novas oportunidades de negócios”, acrescenta o executivo.

Para os próximos anos, a com¬panhia pretende manter a política já adotada, estreitando o relacio¬namento com os corretores de res¬seguro com foco em parcerias de longo prazo.

 

pesquisa | previdência, crédito, rural e riscos aeronáuticos
Investimento, inovação e aperfeiçoamento

Ações levam Grupo Mapfre a conquistar quatro categorias em nível nacional
Mais uma vez, o Grupo Mapfre é destaque em Previdência, Crédito e Agropecuária do Prêmio Melhores do Seguro. Este ano, porém, a lista de conquistas ganhou mais um item: Riscos Aeronáuticos. Todas as categorias correspondem à atuação da companhia em nível nacional.

Maristela Gorayb, diretora de Pre¬vidência e Vida Resgatável da Mapfre, acredita que ainda há grande espaço a ser atendido dentro do segmento que, de um modo geral, segue em expansão. “Hoje o brasileiro é muito mais cons-ciente sobre a importância de ter um planejamento financeiro para o futuro, e embora ainda falte disciplina finan¬ceira para isso, está mais familiarizado com o produto como uma ferramenta para ajudá-lo a ter essa disciplina”, diz.

Segundo a diretora, os próximos passos na área já estão definidos e focarão na consolidação da estratégia, buscando ampliar a base de distri¬buição da empresa e, principalmente, fidelizar o corretor com atendimento ágil e serviço de qualidade.

Assim como em Previdência, a categoria Crédito demanda desenvol¬vimento da cultura do seguro como instrumento na gestão dos negócios. “O desenvolvimento de soluções aderentes às necessidades dos clientes com produtos adequados, somado a distribuição especializada nesta linha de negócios, é o fator de sucesso para o desempenho observado”, declara o diretor executivo de Garantias e Cré¬dito do Grupo BB e Mapfre, Rogerio Vergara.

Para os anos seguintes, está pre¬vista para a carteira a otimização de processos e sua automatização por meio de sistemas, permitindo que todas as etapas do fluxo operacional ganhem mais eficácia. Com perspectiva pro¬missora, o executivo espera grande crescimento do mercado que, em sua opinião, “ainda está aquém do que a economia brasileira merece”.

Na área agrícola, a dificuldade encontrada pelo Grupo foi a seca que atingiu os estados do Paraná, São Pau¬lo, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Minas Gerais e Goiás. Na ocasião, a empresa atendeu mais de cinco mil produtores, enviando equipes para os locais atingidos que ofereceram apoio, informações e aceleraram as perícias e avisos de sinistro.

Responsável pela área de direção técnica de Seguros Rurais do Grupo BB e Mapfre, Gláucio Toyama explica que a maioria dos produtores ainda desconhece a importância dos seguros nesta área, mas já percebe o aumento do interesse de alguns deles pelo serviço. “As áreas agrícolas são essen¬ciais para o Brasil e não podem ficar à mercê de intempéries, que põem a perder recursos alimentícios e finan¬ceiros e levam famílias e comunidades a dificuldades por vezes irreversíveis.”

Investimento, inovação e aperfei¬çoamento de produtos e serviços tam¬bém se estendem ao setor de Riscos Ae¬ronáuticos, no qual o grupo conta com ações específicas para todas as áreas da aviação e visualiza o desenvolvimento de setores como aeronaves agrícolas, aviação de transporte regular de pes¬soas, aeroportos e aviação executiva.

Segundo Carlos Polizio, superin¬tendente executivo de Aeronáutico, Cas¬co e Transporte do Grupo, a companhia continuará investindo na manutenção da liderança no setor, assim como buscará pela excelência na prestação de serviços no Brasil. “Melhorar a divulgação dos produtos disponíveis para este seguro seria uma ótima forma de os operadores de aeronaves ampliarem o conhecimen¬to sobre o setor e, consequentemente, demandarem por mais coberturas e serviços”, finaliza.

 

pesquisa | automóvel, transporte e vida
Parceria sólida para oferecer novos produtos
Seja em âmbito nacional ou em certas regiões recortadas do País, a Porto Seguro reafirma a boa relação com os corre¬tores de seguros através da indicação em três categorias do Prêmio Melhores do Seguro 2014. A abrangência dos produtos da companhia hoje se reflete no reconhecimento de suas carteiras de Automóvel e Transportes, ganhadoras como destaque nacional, enquanto a novidade de premiação neste ano ficou por conta da carteira de Vida na região Sudeste. Cada um desses prêmios é celebrado pela companhia.

A gerente da carteira de Trans¬portes, Rose Matos, ressalta o reco¬nhecimento: “para nós é um Prêmio de suma importância e confirma que os esforços estão sendo reconhecidos e valorizados pelos nossos corretores, pois em tudo o que fazemos colocamos foco em excelência no atendimento e em oferecermos produtos e serviços de qualidade”, comenta. A companhia se empenha em ouvir as sugestões e críticas contributivas dos corretores de seguros, assim, reafirma sua parceria com o principal canal de vendas. Con¬forme dados da Superintendência de Seguros Privados (Susep), no primeiro semestre deste ano em comparação com o mesmo período de 2013, o crescimento foi de 9%. Por isso, Rose afirma que a distribuição está mais concentrada nas regiões Sul e Sudeste do País, onde o movimento de cargas é bem maior e, consequentemente, a sinistralidade também.

“Nos últimos anos, percebemos um significativo crescimento na quanti¬dade de corretores atuando nos seguros de transportes. Mas ainda há muitos que precisam conhecer o produto”, diz Rose.

O corretor que faz um seguro de transportes, seja para o embarcador ou transportador, se interessa pelo produto, quebra o paradigma de que é um ramo complexo para se trabalhar e passa a olhar internamente para sua relação de clientes, detectando novas oportunidades de prospecção voltadas a transportes. Assim, começa a diver¬sificar sua carteira.

Já sobre a conquista na carteira de Vida, Jaime Prazeres, gerente no seg-mento, aponta que a região Sudeste tem um destaque importante na carteira, com muito potencial de crescimento.

“De um modo geral, o Brasil está mais consciente da necessidade de ad¬quirir a proteção contida nos seguros de vida. A região Sudeste concentra grande parte das empresas e clientes consumi¬dores deste produto”, afirma Prazeres.

Hoje, as empresas buscam eficiên¬cia em suas operações e com o corretor não é diferente. Ele precisa de uma seguradora que facilite o seu dia a dia. Prazeres diz que a companhia investe na simplificação dos processos do produto vida em grupo, que será percebido prin¬cipalmente na fase de cotação, aceitação e manutenção das apólices.

A carteira de automóvel já conta com muito reconhecimento dentro da Porto Seguro e em 2014 não foi dife¬rente. “Sentimo-nos muito prestigiados com a escolha, o que reafirma o nosso posicionamento estratégico em termos de produto”, conta Marcelo Sebastião, diretor de Auto.

Em fevereiro a companhia lançou um programa de relacionamento para jovens entre 18 e 24 anos da região me¬tropolitana de São Paulo. A iniciativa faz parte do Porto Seguro Auto Jovem e, no primeiro ano, garante 30% de desconto no seguro e na franquia. São 20% de desconto pelo desempenho em relação à dirigibilidade, mais 10% de desconto pela realização dos cursos Direção Segura e Direção Emocional (5% de cada curso). Uma vez reali¬zados os cursos, o desconto de 10% se mantém nas próximas renovações, enquanto o cliente estiver no Auto Jovem, e os outros 20% de desconto podem ser conquistados conforme o resultado em relação à dirigibilidade, que está relacionado a metas de tempo rodado na madrugada e velocidade.

 

pesquisa | saúde, previdência e capitalização
Reconhecimento do Sul e do Sudeste

SulAmérica se empenha para ampliar sua penetração em regiões que já se estabeleceram como aliadas da companhia
Ressaltando o vínculo que tem com seus principais parceiros, os corretores de seguros, a SulAmérica co¬memora mais um ano de premiações. Em 2014, a companhia foi agraciada com três troféus do Prêmio Melhores do Seguro. A seguradora foi indica¬da pelos corretores, de acordo com pesquisa realizada em parceria com a CVS Solutions.

As carteiras de Saúde e Capi¬talização foram os destaques da se¬guradora no Sudeste. “A região é de extrema importância para a atuação e expansão da companhia em saúde. É um mercado exigente, onde temos grande volume de negócios e bastante competitividade em soluções, tanto para grandes quanto para pequenas e médias empresas”, afirma Manoel Cardoso, diretor de Relacionamento com Clientes de Saúde. A carteira de saúde na companhia tem crescido es¬pecialmente por contas das PME’s que, segundo Cardoso, cresceram 23,4% em relação ao segundo trimestre de 2013.

O responsável pela carteira de Saú¬de destaca ainda a sua percepção sobre a vontade dos brasileiros em ter planos de saúde. “Atualmente, cerca de 25% da população brasileira possui plano de saúde. Embora seja um percentual ainda baixo, sobretudo quando comparado a números de economias mais maduras, a demanda é crescente”, aponta.

A região Sudeste, juntamente com a região Sul, também foi responsável pela vitória da companhia no segmento de Previdência, onde a SulAmérica lançou novos produtos para aumentar a competitividade. “Desenvolvemos novas ferramentas de apoio às vendas, como o Guia de Vendas e o Guia de Melhorias, simulador on line, nova folheteria, todos com linguagem mais acessível ao cliente e ao corretor, e proposta unificada, facilitando a comercialização do produto”, explica Fabiano Lima, diretor Técnico de Vida e Previdência. Com boas expectativas também nesse setor, Lima aponta o crescimento como certo e diz que a empresa deverá “trabalhar cada vez mais no foco para a venda consultiva, capacitando os canais de vendas para orientar da melhor forma nossos pros¬pects”. O executivo adianta também que o portfólio de Previdência foi renovado e que isso fará com que as reservas da companhia cresçam.

A carteira de capitalização tam¬bém foi reconhecida no Sudeste. Sergio Diuana, vice-presidente de Capitalização da companhia, afirma a satisfação de receber o prêmio e enfatiza a boa relação com o corretor, além de destacar as atuações que fize¬ram a diferença para o ramo. “Temos atuação em diversos segmentos, desde o incentivo empresarial até a utiliza¬ção de títulos como instrumento de garantia, como por exemplo, o produto Garantia de Aluguel”, conta. A carteira de capitalização é a terceira maior da companhia. Diuana acredita também no crescimento, não apenas no Sudes¬te, mas “em outras praças onde temos forte presença física como Minas e Centro-Oeste e Sul”.

Os três executivos que falaram sobre a premiação fizeram questão de ressaltar as iniciativas que a companhia tem em relação à atuação dos correto¬res de seguros. Como o Programa de Reconhecimento ao Corretor (P.R.A. Corretor).

Na área de capitalização, por exemplo, os corretores que alcançarem a marca de 12 a 49 novos títulos em seis meses terão comissão adicional de 0,5% sobre novas vendas e reaplica¬ções do mês de apuração. A premiação chega a 1% para aqueles que emitirem 50 novos títulos ou mais no mesmo pe¬ríodo. A venda consultiva também é in¬centivada: no segmento de previdência são realizados fóruns para os parceiros conhecerem tendências econômicas e poderem auxiliar seus clientes.

pesquisa | resseguradora internacional
Percepção para mitigar riscos

A Swiss Re investe em mapeamento de clima e comportamento para descobrir o impacto das catástrofes naturais e ajudar a diminuí-los
A Swiss Re conquistou tra¬dição em sua atuação no Brasil. Por isso, foi eleita pelos corretores de seguros a melhor resseguradora internacional no Prêmio Melhores do Seguro 2014. Margo Black, presidente da compa¬nhia, afirma que o reconhecimento desses profissionais é de extrema im¬portância. “Os corretores de seguros estão em contato direto com os clientes finais, ou seja, praticamente na ponta inversa de um ressegurador na cadeia de valor do seguro. E ter esta conexão com eles é, para nós, não só um privi¬legio e uma honra mas também uma grande responsabilidade”, declara.

Para exemplificar a razão do sucesso, Margo cita a realização de pesquisas e estudos econômicos que podem dar novas ideias aos corretores. No primeiro trimestre de 2014, por exemplo, foi lançada uma pesquisa sobre as percepções de riscos e as atitudes de compra dos consumidores de seguros de Vida e Saúde no Brasil.

“Também este mês apresentaremos um estudo sobre os ciclones tropicais no Atlântico Sul feito em parceria com a universidade de Zurique, além de um mapa de enchentes que ajudará a preci¬ficar os riscos. Logo iremos apresentar uma publicação que fizemos como parte de um esforço de colaboração entre a Swiss Re e a Harvard School of Public Health (HSPH)”, adianta a exe¬cutiva. Realizada por 45 pesquisadores de ambas as instituições, a pesquisa compreende a análises sistemáticas e explicativas de fatores de risco que podem afetar a saúde cardiovascular e impactar no seguro de vida e saúde.

Ao falar de crescimento da com¬panhia, Margo sinaliza uma boa ex¬pectativa, o escritório em São Paulo fez novas contratações. “A área de inves¬timentos da Swiss Re, como parte de sua atividade, busca permanentemente oportunidades que sejam atrativas. E, demonstrando nosso compromisso com os mercados emergentes, especialmente o Brasil, esse tipo de transação é sempre uma possibilidade”, aponta.

A Swiss Re opera em todos os ramos e vê muitas oportunidades. infraestrutura continua sendo um dos focos dentro da companhia, assim como seguros para enchentes, Vida e RC Ambiental.

Quanto aos desafios enfrentados o excesso de capacidade e um cená¬rio econômico menos favorável são, segundo Margo. Enfrentados hoje igualmente pelos seguradores e res¬seguradores. “No entanto, a perspec¬tiva de crescimento em longo prazo permanece atraente. Apesar de toda a região da América Latina enfrentar dificuldade de manter as boas taxas de crescimento dos últimos anos, a tendência de alta de longo prazo permanece em jogo”, finaliza.

pesquisa | transporte e condomínio
Em crescimento

Serviços se destacam nas regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste do país
Os corretores de seguros elegeram e a Tokio Marine Seguradora foi vencedora em duas categorias pela pesquisa da Revista Apólice em parceria com a CVA Solutions. A pri¬meira delas, Transporte, abrange toda a região Norte, Nordeste e Centro-Oeste do Brasil. Já a segunda é atribuída aos serviços de Condomínio oferecidos na região Sudeste do país.

Presente em 38 países, hoje a seguradora conta com 45 mil colabo¬radores, sendo 1500 deles localizados em território brasileiro, onde a Tokio Marine atua há 55 anos. Para Felipe Smith, diretor executivo de Produ¬tos Pessoa Jurídica da seguradora, justificam o destaque da companhia na carteira de seguros o trabalho em equipe e a pré-disposição para ouvir e entender as necessidades dos cor¬retores, assim como a qualidade na entrega do produto de transportes, os subscritores e os analistas de prevenção de riscos especializados em transportes e as ferramentas de TI adequadas para averbação.

“Para atingir este patamar, tivemos de fazer com que o mercado regional enxergasse a companhia como um forte player na carteira de transportes. Essa ação resultou da presença e atendimen¬to de nosso time comercial e técnico junto aos corretores”, declara Smith.

As perspectivas de crescimen¬to, que devem ser mantidas com a continuidade de todos os produtos e coberturas voltados a embarcadores nacionais e internacionais da compa¬nhia, ganharão ainda mais impulso este mês, quando a Tokio Marine lançará um produto de RCT/DC destinado ao pequeno transportador. Uma possível aceleração do crescimento econômico também poderá contribuir para que o segmento deslanche ainda mais, uma vez que o ramo de transportes está for¬temente ligado com o desenvolvimento da economia.

No que tange ao ramo de condo¬mínios, o mercado pouco cresceu du¬rante os seis primeiros meses de 2014. Mesmo assim, dentro deste contexto, a companhia registrou um crescimen¬to de 147% em comparação com o mesmo período do ano anterior. Com a conquista de um número cada vez maior de corretores e clientes por meio do Tokio Marine Condomínio, Mar¬celo Goldman, diretor executivo de produtos massificados da companhia, afirma que o cenário de crescimento deve continuar otimista. “Temos expectativa de continuar crescendo neste patamar em 2014 e, para o ano de 2015, projetamos crescimento de mais 20% sobre a base de vendas de 2014”, revela.

Tanto a carteira de Transportes quanto a carteira de Condomínios da Tokio Marine, no entanto, têm pontos em comum em seus próximos passos. Um deles é prover cada vez mais e melhores serviços em relação ao atendimento técnico e comercial, com rapidez na emissão de apólices e endossos, faturas e agilidade na regu¬lação de sinistros. Já no segmento de varejo, Goldman afirma que a intenção da empresa é continuar inovando e oferecendo ao mercado produtos de qualidade e adequados às necessidades dos segurados.

 

Deixe uma resposta