Paulo Lückmann, presidente Sindseg-SC,Com o objetivo de alertar a população através de imagens com momentos especiais e também impactantes sobre o perigo da imprudência no trânsito, o presidente do Sindicato das Seguradoras, Previdência e Capitalização em Santa Catarina (Sindseg-SC), Paulo Lückmann, fala sobre a Campanha VIVA,  lançada, dia 30 de junho, com a missão de conscientizar os motoristas sobre as suas responsabilidades no trânsito. Confira:

– O que o motivou a criar a Campanha VIVA?
A diretoria da entidade acredita que desenvolvendo campanhas para enfatizar a conscientização irá ajudar a mudar as atitudes da sociedade perante o trânsito, viabilizando uma forma de evitar acidentes. Infelizmente, ainda temos um perfil de condutores que insistem em trafegar de forma irresponsável. O álcool e o celular são vilões para qualquer condutor. E por que não chamar a atenção da sociedade para viver de forma adequada!?

– O que a diretoria da entidade espera com esta campanha?
O Sindseg-SC espera que a campanha desperte o lado sentimental do condutor e que o faça valorizar a vida. O número de perdas em acidentes de trânsito vem crescendo de forma assustadora, tirando a vida de milhares de inocentes e impedindo que nossos filhos vivam mais, sem que possamos presenciar e compartilhar dos muitos projetos que um dia sonhamos para eles. Estar comprometido com a vida faz parte do seguro e das atividades da entidade.

– Na sua visão os acidentes podem ser evitados?
Claro, principalmente com ações do poder público e mobilização da sociedade. Muitos acidentes levam vidas e deixam sequelas nos feridos e, mais além, nos familiares das vítimas. Se utilizarmos medidas preventivas, rigor na fiscalização, punição dos culpados e conscientização do condutor que se beber, não deve dirigir e, ao dirigir, não usar o celular, com certeza poderemos evitar os acidentes. Claro que não resolveremos o mundo com essas ações, mas, com certeza, teremos uma boa fatia de resultado positivo para a sociedade.

– O desleixo com o próprio veículo é mais uma contribuição humana para que ocorram acidentes. Como o Sindseg-SC vê isso, uma vez que no Brasil o Seguro de Automóvel é o mais procurado pelo consumidor?
Arrisco dizer que o maior responsável pelos acidentes é o fator humano, mas sua contribuição não está ligada apenas às imprudências (álcool, drogas, velocidade e celular). O condutor (proprietário do veículo) tem a responsabilidade de realizar as revisões adequadas para garantir sua segurança e a de terceiros e, assim, consequentemente, evitar os transtornos causados por falhas mecânicas decorrentes da falta de manutenção. Afinal, prevenir é estar seguro.

– Já falamos de álcool e celular, que são os temas que a Campanha VIVA enfatiza. O que o senhor pode falar em relação ao cansaço?
O cansaço é também um grande gerador de acidentes. Outros fatores que também causam a falta de atenção ao volante: fazer uso do aparelho de som, beber, comer, falar ao celular e acessar redes sociais. Dicas para combater o cansaço são sempre válidas. Antes de viajar, procure dormir bem, nunca viaje cansado, não beba nem tome remédios que afetem os sentidos, reveze a condução do veículo com outro motorista e, se necessário, faça paradas para descansar. Não queremos que a campanha seja apenas mais uma tentativa de reduzir acidentes. Queremos que a sociedade e demais órgãos responsáveis lembrem-se da importância de evitar tragédias por falta de omissão, irresponsabilidade ou, até mesmo, incompetência.

– A campanha apresenta imagens impactantes. Por que a escolha de fatos trágicos?
O foco da campanha são as vidas. E esta, definitivamente, o seguro não consegue devolver. Não há dinheiro que faça um pai aceitar perder um filho ou qualquer ente querido da sua família. Nossas estradas precisam comportar o tamanho do trânsito real. Em menos de dez anos, a frota de veículos dobrou e a nossa infraestrutura continua a mesma. Por isso, o motorista precisa se conscientizar. Então, como mostra os outdoors, o que era para ser apenas uma ressaca, acabou em morte, e o que era para ser apenas uma ligação foi a última.

– Presidente, por que criar campanhas educativas se temos a Lei Seca?
Quando a lei é aplicada aparecem os resultados e, após a aplicação da Lei Seca, criou-se um novo cenário com dados estatísticos que comprovam a redução de acidentes de trânsito, mas ainda é pouco para a realidade que temos. Precisamos adquirir o respeito pelo outro, pela vida dos que estão a caminho de casa ou saindo para buscar o sustento da família. O dirigir corretamente vai me fazer chegar em casa feliz e deixar o outro no mesmo sentimento. Precisamos de condutores comprometidos, pois a vida é única e o momento também.

– Recentemente o Sindseg-SC realizou em Blumenau uma palestra com o presidente do Seguro DPVAT, Dr. Ricardo Xavier, que apresentou dados assustadores, principalmente em relação a acidentes com motos. O motociclista tem uma fatia grande na prática de imprudências. Quais as irregularidades mais praticadas e constatadas?
Xavier apresentou dados que mostram a realidade, e é devido a isso que a Seguradora Líder trabalha fortemente com campanhas e palestras para alertar usuários das vias, motociclistas e autoridades. Sobre as irregularidades, basta observarmos um dia de trânsito caótico, então, nos deparamos com motociclistas que não guardam a distância lateral e frontal entre veículos, ultrapassagens inadequadas, operações de retorno nos locais proibidos, uso irregular de capacete de segurança, exibição de manobra perigosa, faróis apagados, além de tantos outros pontos que poderíamos listar que levam aos desastres, acidentes e vidas ceifadas.

– Acidentes com motocicletas estão criando um cenário de aumento contínuo de acidentes e mortes de jovens no trânsito. Qual recado a entidade deixa aos motociclistas?
No entendimento da diretoria do Sindseg-SC, motociclistas devem respeitar as mesmas regras que os demais veículos e condutores, sem nenhuma exceção. Por isso, já atuamos diversas vezes com campanhas educativas (preventivas). Em 2010, em conjunto com a Prefeitura Municipal de Blumenau, a entidade realizou o Feirão do Carro Acidentado, um trabalho fantástico, que teve um público de 31 mil visitantes. Com certeza, esses visitantes saíram mais conscientes, com o que uma máquina (carro e moto) pode fazer com a própria vida, se o mesmo não agir com responsabilidade. Não queremos os jovens em outro veículo (cadeira de rodas). Isto é inaceitável! Queremos todos realizando seus sonhos, sem passar por momentos trágicos que o trânsito hoje oferece.

Fonte: Sindseg-SC

T.C.
Revista Apólice

 

Deixe uma resposta