A Austral Seguradora lançou recentemente um produto para o segmento de Riscos de Petróleo. O RC Offshore garante cobertura de responsabilidade civil decorrente de operações onshore e offshore no país.
O produto visa garantir danos corporais e/ou materiais a terceiros que decorram das atividades de prestação de serviços estabelecidas por meio de contrato. Esses serviços podem variar dos mais básicos, como catering, até operações mais complexas de completação, cimentação e serviços subaquáticos. O produto ainda permite aos grandes prestadores de serviços a contratação de uma única apólice para garantir toda sua gama de contratos, otimizando seu gerenciamento e controle envolvendo assuntos relacionados a seguros.
“Trata-se de um produto pautado nas requisições contratuais exercidas pelos grandes operadores e drilling contractors presentes no Brasil”, explica Carlos Frederico Ferreira, diretor executivo da seguradora. A companhia, focada em Grandes Riscos, começou a operar na área de Riscos de Petróleo em março de 2013. Em 12 meses, conquistou negócios relevantes que contribuíram para um resultado de aproximadamente R$ 32 milhões em prêmios emitidos neste segmento, o que a colocou em 5º lugar no ranking do setor em 2013. Com o novo produto em seu portfolio, a expectativa é alcançar R$ 40 milhões em prêmios emitidos até o final do ano.
“Atualmente temos capacidade de retenção de até R$ 230 milhões a ser distribuída entre nossos produtos e por cada risco/operação”, acrescenta Ferreira. Na modalidade de Riscos de Petróleo, a seguradora oferece ainda a cobertura “Despesas Extras do Operador”, cujo foco são os operadores e drilling contractors, e a modalidade de “Construction Offshore”, direcionada às empresas de EPCistas, drilling contractors e operadores.
A indústria de seguros para o setor de Óleo & Gás movimentou cerca de R$ 800 milhões em 2013. “Este valor pode ultrapassar a marca de R$ 1 bilhão em prêmios de seguro em 2014”, estima Ferreira. A perspectiva é que o ramo de Riscos de Petróleo atinja cerca de 40% de participação dentro da carteira da seguradora, que trabalha ainda com Seguro Garantia e Riscos de Engenharia.
Segundo dados recentes da pesquisa “Principais Investimentos em Infraestrutura no Brasil”, o mercado de Óleo & Gás deve investir cerca de US$ 700 bilhões até 2018, sendo a Petrobras responsável por injetar US$ 226 bi deste montante, de acordo com seu plano de negócios. Além disso, diversas iniciativas do setor privado, como a criação do Porto de Açu, do cluster subsea no Rio de Janeiro, entre outras, podem fomentar ainda mais o setor, que deve representar cerca de 20% do PIB brasileiro até 2020.

T.C.
Revista Apólice

 

 

Deixe uma resposta