Último feriado prolongado de verão, o Carnaval é um dos mais esperados do ano, além de ser, também, um dos que mais acumulam acidentes de trânsito. Prevendo um volume maior de chamadas ao Call Center, o Grupo BB e Mapfre reforçará a sua frota e aumentará a capacidade de atendimento para dar vazão ao aumento das ligações.
Segundo Paulo Oreste, superintendente executivo de operações do grupo, mais de 15 mil serviços, entre chaveiro, socorro mecânico, táxi e guincho, deverão ser prestados. A previsão considera análise e histórico da empresa, quando a demanda por serviços aumenta consideravelmente. “Nosso objetivo é organizar a distribuição dos recursos para garantir o posicionamento estratégico dos prestadores quando forem acionados e prestar o melhor atendimento possível em todas as regiões de maior incidência e garantir o cumprimento dos acordos para as cidades eleitas”, explica.
A campanha abrangerá 429 cidades e envolverá 435 prestadores. A ação terá início em 28 de fevereiro e se estenderá até o dia 5 de março. A estrutura contará com a reorganização e posicionamento de prestadores em locais estratégicos, como S.O.S, guinchos leves, táxis, motos, reboques personalizados e exclusivos, apoio operacional, chaveiros e socorro mecânicos.
Além disso, inclui a organização de pátios de estacionamento (hubs) em São Paulo e no Rio de Janeiro, nas localidades de maior movimento, para trazer maior eficiência operacional e agilidade nos atendimentos e chamados às centrais de atendimento do grupo. “Os hubs concentrarão os veículos removidos durante o feriado nas localidades que recebem mais turistas, que são os litorais Norte e Sul de São Paulo, Vale do Paraíba, Campinas e ABCD, e nas regiões Sul Fluminense, Região dos Lagos, Região Sul do Rio e Grande Rio”, explica.
O BB e Mapfre contará também com o reforço de bicicletas elétricas nos atendimentos aos segurados. O serviço foi implantado durante o réveillon de 2012 para atender aos clientes na região de Copacabana, no Rio de Janeiro (RJ). Bem-sucedida, a iniciativa atendeu a 150 ocorrências no período. “O serviço é acionado para atender casos simples. Não havendo conserto do veículo no local, é feito um novo chamado à central de atendimento e o mecânico, não o segurado, é quem espera a chegada do reboque”, explica Oreste.
Os prestadores de serviços de chaveiro, socorro mecânico, táxi e guincho operarão em esquema de revezamento por escala. No caso dos chaveiros, a novidade fica por conta dos PAC (Ponto de Apoio ao serviço de Chaveiro), uma base móvel para atendimento que funciona 24 horas.
Para agilizar a liberação dos reparos aos veículos que sofrerem pane ou se envolverem em acidentes, os peritos farão as vistorias no local, evitando as remoções e aglomerações nos PAREs (Postos de Atendimento Rápidos Especializados) do grupo ou oficinas credenciadas.

Operação nas cidades eleitas
Em São Paulo, a capital estará fortalecida em todas as modalidades de serviços. A estrutura contará com a reorganização e o posicionamento de prestadores em 130 cidades, sendo 10 cidades do litoral e 120 cidades na grande São Paulo e interior.
No Rio de Janeiro, o efetivo atenderá 36 cidades, do litoral e interior, entre elas Angra dos Reis, Araruama, Armação dos Búzios, Arraial do Cabo, Barra Mansa, Cabo Frio, Campos de Goytacazes, Casemiro de Abreu, Duque de Caxias, Iguaba Grande, Itaboraí, Itaguaí, Itatiana, Magé, Mangaratiba, Maricá, Mesquita, Niterói, Nova Friburgo, Nova Iguaçu, Paraty, Petrópolis, Piraí, Quatis, Resende, Rio Bonito, Rio das Ostras, São Gonçalo, São João de Meriti, São Pedro da Aldeia, Saquarema, Seropédica, Tanguá, Teresópolis, Volta Redonda, além da capital.
Em Minais Gerais, além da capital e grande Belo Horizonte, a estrutura será reforçada em 61 cidades, entre elas Alfenas, Araguari, Araxá, Barbacena, Betim, Brumadinho, Campo Belo, Caratinga, Cambuí, Conceição do Mato Dentro, Congonhas, Conselheiro Lafaiete, Contagem, Curvelo, Diamantina, Divinópolis, Formiga, Frutal, Governador Valadares, Ibiraci, Ipatinga, Itabira, Itabirito, Itajuba, Itapeva, Ituiutaba, João Monlevade, João Pinheiro, Juiz de Fora, Lavras, Manhuaçu, Mariana, Montes Claros, Monte Alegre de Minas, Muriaé, Muzambinho, Nova Era, Nova Lima, Nova Serrana, Oliveira, Ouro Preto, Paracatu, Pará de Minas, Patos de Minas, Patrocínio, Poços de Caldas, Pouso Alegre, Santa Luzia, Santo Antônio do Monte, Salinas, São João Del Rei, Sete Lagoas, Teófilo Otoni, Três Corações, Tapaciguara, Uberaba, Uberlândia, Unaí, Varginha e Viçosa.
No Distrito Federal, Brasília e 11 cidades satélites receberão reforços de guinchos e prestadores de serviços.
Em Goiás, as estruturas serão fortalecidas nas cidades de Alexânia, Anápolis, Aparecida de Goiânia, Caldas Novas, Catalão, Cristalina, Goianésia, Itumbiara, Luziânia, Mineiros, Morrinhos, Rio Verde, Valparaíso de Goiás, Vianópolis, além da capital Goiânia.
No Mato Grosso, as cidades assistidas são Alta Floresta, Barra do Bugres, Barra do Garças, Cáceres, Cuiabá, Jangada, Primavera do Leste, Rondonópolis, Sorriso e Várzea Grande. No Mato Grosso do Sul, em Bataguassu, Campo Grande, Chapada do Sul, Dourador, Ponta Porã e Três Lagoas.
Nas cidades do Nordeste, as estruturas serão reforçadas em oito cidades da Bahia (Camaçari, Feira de Santana, Itabuna, Lauro de Freitas, Vitória da Conquista, Alagoinha, Amélia Rodrigues, Barreiras, Ilhéus, Porto Seguro, Remanso, Teixeira de Freitas, Valença, Valente, Paulo Afonso, Luís Eduardo Magalhães, Candeias, Alagoinha, Vera Cruz e Jacobina), no Ceará (Aracati, Caucaia, Fortaleza, Juazeiro do Norte, Aracati, Canindé, Limoeiro do Norte e Umirim) e em Pernambuco (Camaragibe, Caruaru, Gravatá, Ipojuca, Jaboatão dos Guararapes, Olinda, Paulista, Petrolina, Recife, Vitória de Santo Antão, Palmares, Cabo de Santo Agostinho, Caranhuns e Tamandaré).
No Sul, a operação contempla, no Paraná, a capital e as cidades de Apucarana, Araucária, Cambé, Campina Grande do Sul, Campo Largo, Campo Mourão, Cascavel, Castro, Cianorte, Colombo, Curitiba, Foz do Iguaçu, Francisco Beltrão, Guarapuava, Londrina, Maringá, Matinhos, Nova Esperança, Paranaguá, Pinhais, Ponta Grossa, Santo Antônio da Platina, São José dos Pinhais, Tijucas do Sul, Toledo, Antonina, Colorado, Guaraqueçaba, Guaratuba, Londrina, Morretes, Pato Branco, Pontal do Paraná e Umuarama; em Santa Catarina, Florianópolis, Balneário Camboriú, Blumenau, Brusque, Camboriú, Chapecó, Concórdia, Criciúma, Garopaba, Garuva, Itajaí, Itapema, Joinville, Lages, Mafra, Palhoça, Porto Belo, Pouso Redondo, Rio do Sul, São José, Timbó, Tubarão, Tubarão, Bombinhas, Laguna, Penha, São Francisco do Sul, Imbituba, Araranguá, Barra Vellha, Navegantes, Gaspar, Ituporanga, Jaguaruna, Biguaçu, Rancho Queimado, São bento do Sul e Jaraguá do Sul; e 28 cidades do Rio Grande do Sul (Bagé, Bento Gonçalves, Cachoeira do Sul, Cachoeinha, Camaquá, Campo Bom, Canoas, Capão da Canoa, Caxias do Sul, Estância Velha, Farroupilha, Gramado, Gravataí, Lajeado, Novo Hamburgo, Passo Fundo, Pelotas, Porto Alegre, Rio Grande, Santa Cruz do Sul, Santa Maria, São Leopoldo, Sapiranga, Sapucaia do Sul, Torres, Venâncio Aires,  Viamão, Tramandaí, Osório, Imbé, Xandri-la, Campo Bom, Santo Antônio da Patrulha, Portão, Cidreira, Garibaldi, Guaíba, Soledade, Lagoa Vermelha e São Francisco de Paula).

T. C.
Revista Apólice