A Assist Card Internacional acaba de abrir seu primeiro escritório na China. A escolha de Xangai tem foco estratégico, já que a atualmente esta é a segunda maior cidade daquele país e uma das maiores áreas metropolitanas do mundo, com mais de 20 milhões de habitantes.
A importância do mercado chinês para a companhia pode ser compreendida em números. Devido a rápida urbanização, o aumento da renda e uma maior flexibilidade nas regras que regem as viagens ao exterior, o número de chineses viajantes internacionais aumentou de 10 milhões em 2000 para 83 milhões em 2012.
Além disso, dados da Organização Mundial do Turismo apontam que a região Ásia-Pacífico apresentou forte crescimento durante o primeiro semestre deste ano devido ao aumento das chegadas de turistas para o Sudeste Asiático e Sul da Ásia. Em 2012, os chineses investiram R$ 102 milhões em viagens internacionais, tornando-se o primeiro mercado emissor do turismo no mundo em relação ao desembolso.
“Por mais de 40 anos trabalhamos para oferecer o melhor serviço de assistência em viagem e estamos orgulhosos de viver este grande marco na história da empresa. Estamos confiantes de que este novo centro na China vai nos permitir estar ainda mais perto de nossos viajantes e assim fornecer o serviço excelente já mundialmente reconhecido como Anytime, Anywhere, Any Reason“, garante Alexia Keglevich, CEO da Assist Card Internacional.
A nova unidade já está em funcionamento e conta com 14 posições de atendimento aos viajantes. Todos os operadores são fluentes em mandarim e inglês e, a exemplo das demais centrais Assist Card, opera 24 horas, todos os dias da semana.
Aproveitando a inauguração do seu primeiro escritório na China, a companhia também anunciou que Sally Lee é o novo vice-presidente Sênior para a Ásia. O executivo, que possui mais de 20 anos de experiência profissional no mercado de assistência em viageme seguros,agora passa a ser responsável por todas as operações da empresa na China, Japão Coréia, Filipinas e Indonésia. Suas responsabilidades incluem a liderança dos negócios atuais e potenciais da companhia no continente, a expansão para novos mercados na região e o desenvolvimento de novos planos de negócios.

A.C.
Revista Apólice

Deixe uma resposta