Os últimos eventos realizados pelo Clube dos Corretores de Seguros de São Paulo (CCS-SP) provaram, primeiramente, que a categoria tem prestigio junto às autoridades e empresas do setor, e, ainda, que a nossa entidade está em perfeita sintonia com as demandas da atividade. A participação do superintendente da Susep, Luciano Portal Santanna,em almoço do Clube, foi uma rara oportunidade aos corretores de compartilhar seus anseios, opiniões e, mais do que isso, de receber esclarecimentos importantes sobre os normativos que afetam a atividade.
O presidente da Federação Nacional de Seguros Gerais (FenSeg), Paulo Marraccini, também recebido CCS-SP em seu almoço mensal, destacou a importância do corretor de seguros,classificando-o como “árbitro” do seguro. Já o presidente da SulAmérica, Gabriel Portella, que em julho esteve conosco, evidenciou o importante papel do corretor no desenvolvimento da companhia, além de apresentar iniciativas salutares para a categoria, como a oferta de cursos e treinamentos para adequar os profissionais às novas exigências do mercado, sobretudo às inovações tecnológicas.
Outra presença marcante no almoço do Clube foi a do deputado federal e presidente da Federação Nacional dosCorretores de Seguros(Fenacor), Armando Vergílio dos Santos, que, todos sabemos, tem uma agenda repleta e está envolvidos em diversas frentes de trabalho em prol do corretor, principalmente, no âmbito legislativo. Dentre as causas que ele abraçou, duas estão na ordem do dia da categoria, que são a inclusão no Simples Nacional e a regulamentação do agente de seguros.
Sem dúvida alguma, o CCS-SP está cumprindo o seu papel de promover o debate aberto e franco entre os corretores e as lideranças do setor, aproximando e dando voz à categoria. Porém, não fosse a importância que o corretor conquistou na indústria de seguros, jamais o Clube conseguiria realizar estes importantes encontros.
Contrariando alguns pessimistas que insistem em prever o fim da corretagem, ora pelo avanço do canal internet, ora pelo carro inteligente que será capaz de evitar de sinistros e, agora, pelo iminência da concorrência com o agente de seguros, afirmo com plena convicção que a categoria está cada vez mais forte e valorizada.
O CCS-SP, entidade que há 40 anos defende os interesses dos corretores, também deseja, mais que tudo, ser o elo que une a categoria. No que depender desta gestão, os corretores continuarão fortes, unidos e sempre terão voz para reivindicar o melhor para a atividade. Contem conosco!

*Alexandre Camillo, mentor do Clube dos Corretores de Seguros de São Paulo (CCS-SP)

Deixe uma resposta