O Hospital Samaritano de São Paulo acaba de conquistar, pelo segundo ano consecutivo, a 5ª posição no “Ranking dos Melhores Hospitais e Clínicas da América Latina”, da revista AméricaEconomía. E pelo terceiro ano consecutivo, a instituição ocupa a 2ª posição entre os hospitais brasileiros. O Samaritano participou da pesquisa pela primeira vez em 2011.
Para chegar a essa classificação final, a revista AméricaEconomía conta com uma metodologia específica que inclui uma extensa pesquisa de informações, dados e números. Para participar, a instituição deve responder a um questionário que reúne informações-chave em relação a seis itens da qualidade hospitalar, além de um conjunto de documentos que endossam tais informações.
Os itens medidos pelo ranking são:

• Segurança e Dignidade do Paciente – indicadores de processos e resultados que minimizam riscos hospitalares, além do quesito transparência;
Capital Humano – análise da equipe médica, enfermagem e governança hospitalar;
Capacidade – indicadores quantitativos de pacientes ambulatoriais, leitos, especialidades e subespecialidades médicas, exames laboratoriais e cirurgias, além de investimentos;
Gestão de Conhecimento – indicadores que medem a capacidade de gerar, obter e difundir vanguarda do conhecimento médico;
Eficiência – considera taxas de ocupação de leitos ou salas de cirurgia, balanços financeiros e mecanismos de gestão de qualidade;
Prestígio – considera a opinião dos médicos dos hospitais participantes e dos leitores da AméricaEconomía, além de marcos, conquistas e alianças estratégicas alcançadas pelas entidades.
Para toda a liderança do Hospital Samaritano, os itens medidos pelo ranking da AméricaEconomía estão alinhados com a missão da Instituição, que visa o comprometimento com a segurança e assistência à saúde, eficiência operacional e alto desempenho, respeito à diversidade e acolhimento diferenciado, sempre atuando com responsabilidade social.
Vale destacar também que a qualidade e a segurança do paciente no Hospital Samaritano já foi atestada, por três vezes consecutivas (2004, 2007 e 2011), por um dos mais reconhecidos órgãos certificadores de padrões de saúde do mundo, a Joint Commission International (JCI).
No total, mais de 190 entidades foram convidadas a participar da pesquisa. O “Ranking dos Hospitais e Clínicas da América Latina”, edição 2013, apresenta análise dos 45 melhores de dez países: Argentina, Brasil, Colômbia, Costa Rica, Chile, Equador, México, Panamá, Peru e Venezuela.
Pode participar da pesquisa qualquer hospital ou clínica latino-americana de alta complexidade, que preste múltiplos serviços em diferentes especialidades médicas, e que tenha sido indicada como referência pelo Ministério da Saúde de seu respectivo país. A instituição pode ser privada, pública ou universitária.

A.C.
Revista Apólice

Deixe uma resposta