14/08/2022

Assistência odontológica cresce 25% no Espírito Santo

O crescimento dos planos odontológicos no Espírito Santo foi o maior registrado em toda a região Sudeste. Com expansão de 24,98%, o desempenho do Estado em 2012 superou Minas Gerais (19,39%); Rio de Janeiro (11,07%) e São Paulo (3,36%), segundo levantamento do Sindicato Nacional das Empresas de Odontologia de Grupo (Sinog), a partir dos dados da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).
Entretanto, se comparado aos demais em relação à taxa de cobertura da população, o Estado só fica a frente de Minas Gerais, que possui atualmente apenas 7,14% dos seus 19,5 milhões de habitantes assistidos por algum plano odontológico. O Espírito Santo conta agora com pouco mais de 10% de cobertura para os seus 3,5 milhões de moradores.
Já os Estados do Rio de Janeiro (16,49%) e de São Paulo (16,41%) são os que mais possuem habitantes com algum tipo de assistência odontológica, seja planos ofertados por empresas de odontologia de grupo, cooperativas, medicina de grupo, autogestão, entre outras modalidades.
“O Espírito Santo foi o sétimo Estado que apresentou maior crescimento percentual no volume de planos odontológicos em 2012, e foi o primeiro na região mais desenvolvida do país. Isso significa que cada vez mais as pessoas percebem a importância dessa cobertura no seu dia a dia, tanto que esse já é o segundo benefício mais solicitado pelas empresas”, revela o Dr.Geraldo Almeida Lima, presidente do Sinog.
Prova desse crescimento pode ser percebido também nas demandas das empresas e organizações. Recentemente, o Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos do Espírito Santo (Sincodives) resolveu ampliar o rol de benefícios dos trabalhadores de sua categoria, imputando o plano odontológico através da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) 2013/2014.
A operadora escolhida foi o Inpao Dental, que irá atender aproximadamente 20 mil vidas. O plano oferece cobertura para consulta, cirurgia, dentística (tratamento de cárie), endodontia (tratamento de canal), urgências, extrações, odontopediatria, prevenção, radiografias, periodontia (tratamento de gengiva), instalação de aparelho ortodôntico (exceto manutenção e documentação) e coroa provisória. Ao todo serão mais de 200 procedimentos odontológicos, além de reembolso integral para os casos de urgência e carência zero para utilização.

A.C.
Revista Apólice