A Argo Seguros acaba de lançar o Protector Diretores e Conselheiros – modalidade D&O (RC Diretores e Administradores) com tecnologia inovadora de prevenção, proteção e gestão de riscos profissionais.
A lei determina que diretores e conselheiros podem responder pessoalmente por danos ou prejuízos causados a acionistas, empregados, fornecedores e terceirosem geral. Alémdisso podem ser responsabilizados por órgãos reguladores e fiscalizadores por culpa no desempenho de suas funções. O Protector Diretores e Conselheiros garante o pagamento das despesas de defesa e principalmente do valor das condenações as quais estes profissionais estão sujeitos no exercício de seus mandatos.
Embora algumas empresas contratem o Seguro D&O como forma de mitigar estes riscos, é possível obter uma proteção mais ampla através do novo produto. “Um dos principais diferenciais do Protector Diretores e Conselheiros em comparação com os outros D&O do mercado é a personalização do seguro para a Pessoa Física e a opção de portabilidade”, afirma Eduardo Pitombeira, Diretor de Linhas Financeiras & Desenvolvimento de Negócios da Argo no Brasil.
“Tanto os diretores como conselheiros podem migrar de empresas e levar o Protector com eles. Nosso seguro protege não apenas os riscos da atual função, mas também outras empresas em que o segurado já fez parte ou fará”, diz Pitombeira.
O novo produto, exclusivo da Argo no Brasil, é comercializado numa plataforma da empresa, com sua ativação feita eletronicamente pelo usuário sob orientação do corretor. “O Protector garante o risco de responsabilidade pelos atos profissionais dos diretores e conselheiros, incluindo as condenações judiciais, acordos, ressarcimentos e gerenciamento de crise na mídia”, explica o diretor.
“Todos os gastos necessários para a defesa, tais como honorários advocatícios, depósitos recursais, contratação de perito, casos de calúnia, injúria e difamação, além de demais despesas suplementares para coberturas em caso de bloqueios de conta e indisponibilidade de acesso a bens pessoais são também custeados diretamente pelo Protector.”

A.C.
Revista Apólice

Deixe uma resposta