A SulAmérica anunciou que o International Finance Corporation (IFC), braço financeiro do Banco Mundial, comprou parte das ações do ING na Sul América S.A. por aproximadamente R$ 400 milhões e passará a deter uma participação de 7,9% na companhia. A participação direta do ING na SulAmérica cairá de 21,2% para 13,6%.
Os entendimentos entre a SulAmérica, o ING e o IFC incluem a possibilidade de o IFC indicar um membro para o conselho de administração da companhia, o que permitirá que o IFC possa compartilhar sua experiência no desenvolvimento de produtos e serviços em mercados emergentes. O IFC atua com o objetivo de auxiliar empresas e instituições financeiras presentes em mercados emergentes a criar empregos, gerar receitas e aprimorar práticas de governança corporativa e sustentabilidade, além de se posicionar como investidor de longo prazo.
“Nós entendemos que o ingresso do IFC como acionista da SulAmérica é muito positivo e sinaliza que o novo investidor reconhece nossas práticas de governança corporativa e iniciativas de sustentabilidade empresarial, além de confiar no posicionamento estratégico da companhia e no potencial de desenvolvimento dos mercados nos quais a empresa atua”, afirma o presidente do Conselho de Administração da SulAmérica, Patrick de Larragoiti Lucas.
Para o diretor do IFC para Mercados Financeiros da América Latina, África e Caribe, Paolo M. Martelli, o investimento na SulAmérica é consistente com o foco da instituição na promoção do acesso ao seguro, em particular, o seguro saúde, que o IFC avalia como essencial para melhorar a qualidade de vida e inclusão social, especialmente em países em desenvolvimento. “Também valorizamos o amplo alcance geográfico da empresa atendendo a corporações e indivíduos não apenas em regiões desenvolvidas do Brasil, mas também naquelas áreas onde os níveis de penetração de seguros ainda são menores.”
O ING é acionista da seguradora desde 2002, e a operação que foi anunciada é parte do plano de reestruturação e desinvestimento das atividades de seguros e gestão de ativos do ING, conforme acordo que celebrou com a Comissão Europeia em 2008.

A.C.
Revista Apólice

Deixe uma resposta