O Governo estuda cortar o PIS e a Cofins que incidem sobre o faturamento das empresas de plano de saúde, conforme notícia publicada nesta sexta-feira (22/03) pelo jornal O Estado de São Paulo. De acordo com a publicação, outro benefício que deve provocar impacto nos planos é a desoneração da folha de pagamento de hospitais, que deve ser sancionada pela presidente Dilma até 2 de abril.

O corte desses impostos, no entanto, ainda divide o Governo, uma vez que o valor arrecado com esses tributos financiam, de forma indireta, o Sistema Único de Saúde (SUS). No entanto, é possível que o corte seja aprovado em troca de melhorias no atendimento das empresas de planos de saúde ao consumidor, afirma a reportagem.

Ainda está em discussão a Medida Provisória (MP) 582, que inclui dezenas de setores contemplados pela desoneração da folha de pagamento. O segmento de serviços hospitalares deve escapar do veto. Porém, é possível que o benefício seja sancionado apenas no início do próximo mês e a medida só entre em vigor em julho. Com isso, diz o jornal, será possível adiar o impacto da ação sobre a arrecadação e sobre o orçamento.

Com informações do jornal O Estado de São Paulo

Jamille Niero /Revista Apólice

Deixe uma resposta