Em café da manhã realizado no Hotel Tivoli, em São Paulo, o Clube dos Corretores de Seguros de São Paulo apresentou Francisco Caiuby Vidigal Filho (foto)como novo presidente da Marítima Seguros, após esta ter 88,2% de seu capital adquirido pela Sompo Japan, que no Brasil já possuía a marca Yasuda.

Kiko, como é conhecido o presidente da Marítima, apresentou as três empresas e enfatizou que o fato do Japão estar com o mercado de seguros estagnado há cerca de 15 anos aumenta o seu interesse pela operação brasileira. A Marítima tem um mix de carteira com equilíbrio de automóvel, vida e RE, todos com cerca de 30% cada. Na Yasuda, automóvel lidera, seguido pelo seguro de transporte. “Nosso objetivo é promover a venda cruzada e atender bem tanto em seguros massificados quanto nos corporativos”, enfatizou.

O laço cultural também é uma das apostas de Kiko. Para ele, apesar das diferenças, esta parceria trará sinergia para a atuação do grupo e combaterá o maior problema da Marítima, que são as despesas administrativas. “Nossa carteira não apresenta problemas de sinistro e temos excelentes parceiros de comercialização. Por isso, tentaremos trabalhar para sermos mais eficientes”, ressaltou.

Uma das maiores preocupações dos mais de 300 corretores de seguros presentes é se a empresa continuará a ser parceira da categoria, oferecendo soluções ágeis nos momentos mais críticos. “Um dos patrimônios mais valiosos avaliado pelos japoneses foi justamente nosso relacionamento com os corretores de seguros. A companhia continua com suas portas abertas”, declarou Kiko.

Dando uma amostra de como a companhia pretende atuar de forma mais agressiva, Kiko disse que uma das primeiras medidas será o nova possibilidade de parcelamento do seguro de automóvel, agora em cinco vezes sem juros. Ele acrescentou que novas mudanças estão sendo preparadas.

As equipes comerciais das duas empresas continuarão distintas, assim como o corpo técnico. Algumas áreas administrativas podem ser juntadas para melhorar as despesas administrativas. Não haverá mudança na marca da Marítima, pelo menos por enquanto. O nome Yasuda não será usado nas apólices da Marítima, nem vice-versa.

A Sompo Japan aguarda agora a aprovação dos órgãos reguladores dos dois países para oficializar a nova diretoria. Mikio Okumura ficará com a presidência da Yasuda. “Vamos manter os pontos fortes de cada companhia com eficiência operacional, que é a receita de sucesso em qualquer setor”, discursou.

Apesar dos resultados financeiros da Marítima Seguros terem sido fortemente influenciados pela queda da custo de apólice e das taxas de juros, a Sompo Japan, segundo o novo presidente, cobra um crescimento da companhia acima da casa dos 15% do mercado.

Kelly Lubiato / Revista Apólice

 

 

Deixe uma resposta