As taxas de seguros globais continuaram estáveis no quarto trimestre de 2012, porém com um ritmo mais lento do que no trimestre anterior, apesar do custo para a indústria de seguros por conta do Furacão Sandy, de acordo com o relatório “Marsh Risk Management Global Insurance Index”.

Outros dados também publicados no Global Insurance Market Quarterly Briefing mostraram que a alteração da taxa média de renovação teve um aumento de 1,2% no quarto trimestre em relação a 1,4% no terceiro trimestre. Enquanto as taxas de property continuaram a subir, a taxa de crescimento permaneceu a mesma pelo segundo trimestre seguido. Já as linhas de seguro financeiro e profissional mantiveram aumento, com a renovação média mostrando crescimento de 2,2% ano a ano. Instituições financeiras nos EUA, Europa e Austrália mantiveram aumento de taxas em seus programas de seguro de Responsabilidade Civil durante o quarto trimestre, refletindo a preocupação das seguradoras sobre a situação econômica global e o crescente controle regulatório.

A líder das Práticas de Risco e Especialidades da Marsh, Dean Klisura, acredita que mesmo o Furacão Sandy ter feito com que algumas seguradoras sofressem perdas significativas, não se espera que este evento mude por completo o mercado. As seguradoras permanecem bem capitalizadas e em grande parte não pretendem reduzir a capacidade em 2013. “No entanto, algumas seguradoras estão pressionando para que haja aumento de taxa”, comenta.

Segundo Dean, a proporção de segurados nos EUA, que apresentaram reduções dos valores de renovação, caiu na maioria das linhas de negócios neste trimestre. Será cada vez mais difícil para eles garantirem taxas baixas em Property no início de 2013. “Isto é especialmente verdade para aqueles que sofreram com as perdas do Furacão Sandy. Taxas fixas ou em declínio na renovação normalmente tendem a ser reservadas para os segurados com histórico favorável de perdas ​​e baixas exposições catastróficas”, finaliza.

J.N.

Revista Apólice

Deixe uma resposta