O potencial da indústria de seguros da América Latina foi detalhado, país a país, na décima primeira edição do estudo realizado pela Fundación Mapfre. A pesquisa, divulgada ontem (30/01), traz números de 2011 e primeiro semestre de 2012. Apesar de parecer um tanto atrasado, por já termos números consolidados de 2012, a riqueza de detalhes do estudo tornam os dados de grande interesse para quem atua no setor ou quer conhecer um pouco mais desta industria.

Os 18 países analisados no relatório registraram aumento de 14,1% em volume de prêmios em 2011 em relação ao ano anterior, chegando a € 104,2 bilhões. O Brasil continua sendo o maior mercado na região, com market share de 33%, seguido pelo México, que responde por 14%, Venezuela e Porto Rico com 12% e da Argentina, com 11%. Países que experimentaram maior crescimento em volume de prêmios em euros foram Paraguai (33,4%), Argentina (30,4%) e Guatemala (21,4%).

O relatório mostra o grande potencial de crescimento que existe nos mercados de seguros da América Latina. Porto Rico continua na liderança quando o comparativo é prêmio per capita da região, com € 2.117 per capita. Também lidera o índice de participação do setor no PIB, com 17,3%. Chile exibe consumo de € 423 em seguros por habitante e 4,1% do PIB. O Brasil registrou em 2011 consumo per capita de € 310 por habitante e 3,4% do PIB, enquanto a Venezuela ficou com € 262 e 3,4% de penetração no PIB.

No geral, o relatório mostra que 60% dos prêmios ganhos em 2011 nestes mercados correspondem à não-vida, com € 62,5 bilhões, alta de 14,2% sobre o ano anterior, especialmente influenciado pelo aumento do nível de emprego e da venda de produtos de varejo e automóveis. Já o segmento de vida avançou 13,9%, para € 41,6 bilhões.

No primeiro semestre de 2012, o volume de vendas aumentou 19%, para € 60 bilhões. Durante os primeiros seis meses de 2012, o estudo destaca o dinamismo do segmento Vida com um aumento de 21,5%, impulsionado principalmente pela atividade no Brasil. Enquanto isso, o segmento não-vida avançou 17,5%.

O relatório também destaca movimentos-chave de negócios que ocorreram no primeiro semestre do ano, entre os quais o memorando de entendimento entre Zurique e Grupo Santander de realizar uma aliança estratégica em distribuição de seguros e as alterações legislativas mais relevantes que ocorreram na região.

O estudo completo está disponível no site da Fundación Mapfre na seção sobre o Instituto de Estudos de Segurança (Centro), em http://www.fundacionmapfre.com. O relatório, que é preparado a partir das publicações dos órgãos de supervisão de seguros e associações de companhias de seguros locais, unifica critérios, a fim de facilitar a comparação entre os países.

Denise Bueno / Sonho Seguro

Deixe uma resposta