17/08/2022

SulAmérica registra lucro líquido de R$ 107 milhões no terceiro trimestre

A SulAmérica encerrou o terceiro trimestre de 2012 com R$ 2,8 bilhões em prêmios, 14,2% acima do mesmo período de 2011 e 7,7% de crescimento em relação ao segundo trimestre deste ano. O lucro líquido do período foi de R$ 107 milhões, marca que superou em 8,9% o lucro líquido do terceiro trimestre do ano passado.

A SulAmérica apresentou crescimento de prêmios em todas as unidades de negócio, com destaque para o segmento de saúde e odontológico, que representa 68% da receita total da companhia e cresceu 18,4%. Os prêmios dos segmentos de automóveis e de demais ramos elementares aumentaram 4,1% e 15,1% neste trimestre, respectivamente, enquanto a área de seguros de pessoas cresceu 5,8% no mesmo período. O índice combinado geral da companhia ficou em 99,1%, apresentando uma melhora de 2,0 pontos percentuais em relação ao número do terceiro trimestre de 2011.

“Nossa política de subscrição e o constante aprimoramento da gestão de risco são os alicerces que nos permitem alcançar resultados sólidos e crescimento constante em cada uma das nossas operações. Acreditamos que o atual cenário econômico brasileiro, com a taxa de juros em patamares menores, fortalecerá o crescimento da economia doméstica e nos permitirá alcançar uma rentabilidade ainda melhor nas nossas operações, compensando, em parte, a redução das receitas financeiras. E é por isso que estamos comprometidos com a melhoria constante da eficiência operacional, procurando gerar, consequentemente, ainda mais valor para os nossos acionistas”, comenta o presidente da SulAmérica, Thomaz Cabral de Menezes.

O resultado financeiro da companhia no trimestre foi de R$ 140 milhões, 18,7% abaixo do montante registrado no mesmo trimestre de 2011. Esta queda, já esperada pela companhia, está em linha com a redução da taxa básica de juros que vem se verificando desde meados de 2011. Já na comparação com o segundo trimestre de 2012, o desempenho melhorou 30,2%, resultado da performance da carteira de investimentos, e em especial da posição mantida em renda variável. Já a área de Gestão de Ativos da SulAmérica apresentou alta de 50,3% no resultado da operação no terceiro trimestre deste ano, impulsionada pelo aumento da captação de recursos e o crescimento das receitas com taxas de administração e performance.  O saldo da carteira de recursos próprios, não vinculada à previdência e VGBL, era de R$ 4,9 bilhões no final do trimestre.

 

Destaques por Unidades de Negócios

 

No segmento de saúde e odontológico, a receita da carteira de produtos para pequenas e médias empresas cresceu 31,7% na comparação com o terceiro trimestre de 2011. No mesmo período, os prêmios do segmento de seguro odontológico aumentaram 10,4%, reflexo tanto dos esforços comerciais, como do lançamento de novos produtos.

O destaque do segmento de automóveis, e também nos demais ramos elementares, foi a melhora significativa na sinistralidade. No ramo de automóveis, a queda foi de 2,7 pontos percentuais no período, em relação ao terceiro trimestre de 2011, alcançando 65,4%. Este é o menor patamar observado desde o início deste ano, demonstrando uma inversão na tendência deste indicador, que vinha se elevando sobretudo como resultado do cenário competitivo . Já a sinistralidade de ramos elementares ficou em 36,1%, 17,5 pontos percentuais abaixo do mesmo período em 2011, impactada positivamente pelo bom desempenho das carteiras de seguros massificados, e responsabilidade civil.

Os contratos de seguros na modalidade prestamista, representando 14,4% da carteira em prêmios, suportaram o crescimento do segmento de Pessoas e a sinistralidade total do portfólio foi de 49,0%, com melhora de 8,8 pontos percentuais em relação ao mesmo período de 2011. Em Previdência, as contribuições aumentaram 8,5% na comparação acumulada ano contra ano, contribuindo para um crescimento de 13,7% nas reservas de previdência e VGBL ante o mesmo período de 2011.

 

G.F.

Revista Apólice