17/08/2022

Fundación Mapfre apresenta 60ª edição do festival de cinema San Sebastián

A 60ª edição do evento de San Sebastián terá, pelo segundo ano consecutivo, um ciclo  organizado em parceria com o Festival 4+1, além de um Pavilhão com atividades para o público infantil. Evento contará com a presença de diretores reconhecidos, como Cao Hamburger, Chico Teixeira, Sérgio Oksman, Sérgio Borges e Cao Guimarães.

Um dos mais tradicionais festivais de cinema do mundo, o Festival de San Sebastián, juntamente com o Festival 4+1, da Fundación Mapfre, realizarão, pelo segundo ano consecutivo, uma proposta diferenciada com o objetivo de trazer ao público iniciativas simultâneas em prol do cinema. Juntos, os dois eventos apresentarão as atividades Ciclo 4+1: Cinema Brasileiro Contemporâneo e o Pavilhão Infantil Pequeno Estúdio de Cinema Fundación Mapfre.

O Festival de Cinema 4+1 é um projeto que apresentará simultaneamente longas que concorreram nos principais circuitos internacionais e que não foram lançados nos cinemas dos cinco países onde o Festival é realizado simultaneamente. Em sua 3ª edição, o evento será dedicado ao Brasil, já que o Centro Cultural Banco do Brasil no Rio de Janeiro funcionará como sede do Festival, que também será apresentado na Sala Lugones em Buenos Aires, na Cinemateca Distrital em Bogotá, na Cineteca Nacional na Cidade do México e na rede de cinemas Golem, em Madrid.

O ciclo, que contou com a colaboração da ANCINE, por meio do programa Cinema do Brasil, e da Embaixada do Brasil na Espanha, traz oito filmes de produção recente, dirigidos por alguns dos mais importantes nomes do cinema brasileiro atual, uma mostra eclética das produções mais ousadas e fascinantes de uma cinematografia que conta com uma série de cineastas reconhecidos internacionalmente.

Além disso, a Fundación Mapfre e o Festival de San Sebastián apresentam novamente o Pavilhão Infantil Pequeno Estúdio de Cinema Fundación Mapfre. Durante os dias em que a cidade de San Sebastián se torna a capital mundial do cinema, o Pavilhão oferecerá um amplo espaço para que todos possam participar das oficinas e de uma série de atividades relacionadas ao mundo do cinema. As crianças poderão aprender e se divertir ao ter contato com roteiros, animação e ofícios cinematográficos.

A novidade neste ano é o Espaço de Efeitos Especiais, onde as crianças poderão descobrir diferentes formas de sonoplastia, efeitos visuais e imagem utilizados no cinema. As atividades para crianças de 3 a 10 anos acontecerão no período matutino, de segunda a sexta-feira, e são destinadas a grupos escolares. À tarde e nos fins de semana, as atividades são abertas ao público geral. Para participar basta inscrever-se no próprio Pavilhão.

Ambas as iniciativas foram apresentadas em San Sebastián durante um ato que contou com a presença de José Luis Rebordinos, Diretor do Festival de Cinema de San Sebastián; Daniel Restrepo, Diretor-Adjunto do Instituto de Cultura da Fundación Mapfre, e Carlos Reviriego, Curador do Festival 4+1 da Fundación Mapfre.
FILMES DO CICLO “4+1: CINEMA BRASILEIRO CONTEMPORÂNEO”

O ANO EM QUE OS MEUS PAIS SAÍRAM DE FÉRIAS (2006) de Cao Hamburger

(Abertura)

Ambientado na turbulenta São Paulo da década de 70, o filme descreve as vivências de um menino de doze anos cujas preocupações são alheias ao regime militar que controla seu país. Obra participante do Festival de Berlim e premiada na Havana, Huelva, Rio de Janeiro e São Paulo.

A ESTETICISTA (2004) de Sérgio Oksman

Emmy B. foi cobaia de Joseph Mengele em Auschwitz. Sessenta anos mais tarde ela aceita participar de um filme. Diante dos olhos do espectador este documentário muda de rumo e se torna uma reflexão sobre as armadilhas da memória.

A CASA DE ALICE (2007) de Chico Teixeira

O retrato de uma mulher de quarenta anos que vive em um bairro operário de São Paulo e que sustenta sua família com seu trabalho de manicure. Filme premiado no Cinema em Construção do Festival de San Sebastián em 2006, no qual participou também da mostra Horizontes Latinos no ano seguinte, e foi premiado em Chicago, Edimburgo, Guadalajara, La Havana, Rio de Janeiro e São Paulo.

CASA DE AREIA (2005) de Andrucha Waddington

Duas das atrizes brasileiras mais reputadas, Fernanda Montenegro e Fernanda Torres, mãe e filha na vida real, receberam prêmios de Melhor Atriz no Festival de Guadalajara por sua interpretação sobre a dura vida de três gerações de mulheres que desafiam as forças da natureza nas inóspitas terras desérticas do norte do Brasil.

SANTIAGO (2006) João Moreira Sales

Um documentário sobre um filme inacabado: Santiago era o mordomo da casa onde o diretor cresceu, e sobre quem, anos mais tarde, ele tentaria fazer um filme, porém sem êxito. Agora, no entanto, ele recupera o material que havia gravado. Filme premiado nos festivais de Miami e Lima.

O CÉU SOBRE OS OMBROS (2010) de Sérgio Borges

Um filme que dilui as fronteiras entre o cinema documental e ficção através de um retrato de preciosos momentos na vida de três habitantes da cidade de Belo Horizonte: uma prostituta transexual que trabalha como professora, um fã de futebol Hare Krishna e um aspirante a escritor. Filme participante do Festival de Roterdã em 2011.

ANDARILHO (2008) de Cao Guimarães

Um filme sobre a relação entre andar e pensar. Retrata o lugar em que as coisas estão em deslocamento constante e nunca se assentam; um lugar de pensamentos transitórios, sons efêmeros e imagens passageiras. A vida como um mero trânsito.

JOGO DE CENA (2011) de Eduardo Coutinho

Encerramento

Eduardo Coutinho, um dos mais reputados documentaristas brasileiros, registra neste filme de não ficção um agudo retrato cotidiano da vida de uma série de mulheres, centrando-se na maneira como as pessoas interpretam vários papéis na vida real.

Mais informações pelo site www.festival4mas1.com.

 

G.F.

Revista Apólice