A SulAmérica divulgou hoje comunicado sobre o resultado do segundo trimestre e acumulado do ano até junho. O faturamento cresceu 13,9% no segundo trimestre, para R$ 2,6 bilhões. Já o lucro líquido do segundo trimestre de 2012 foi de R$ 3,6 milhões, apresentando redução de 86,8% em relação ao mesmo período de 2011.

Veja abaixo o comunicado oficial

A Sul América S.A. (BM&FBovespa: SULA11) encerrou o primeiro semestre de 2012 com R$ 5,1 bilhões de receita em prêmios, o que representa crescimento de 14,4% em relação ao mesmo período do ano anterior. Prêmios do trimestre crescem 13,9% e alcançam R$ 2,6 bilhões. As principais carteiras da companhia seguem apresentando bom desempenho em vendas, principalmente as de saúde e odontológico que, em linha com o primeiro trimestre do ano, continuaram a apresentar forte crescimento em prêmios ao registrar alta de 19,3% em relação ao semestre anterior e receita acumulada de R$ 3,5 bilhões.

O segmento corporativo, com 1,2 milhão de vidas seguradas cresceu 22,5% no acumulado do semestre em relação ao mesmo período de 2011, e 20,6% no segundo trimestre deste ano. Já o segmento de pequenas e médias empresas apresentou um crescimento 30,3% em comparação com o segundo trimestre de 2011.

Com receita de R$ 23,8 milhões em prêmios no segundo trimestre de 2012, o segmento odontológico cresceu 40,1% ante o mesmo período do ano anterior. A carteira encerrou o primeiro semestre com 495 mil membros, alta de 25% em relação ao número observado no mesmo período em 2011. “O resultado obtido na carteira de saúde e odontológico deve-se ao fortalecimento do relacionamento com o canal de corretores, e à grande aceitação de uma linha de produtos que vem sendo comercializada desde o ano passado. Todas essas ações proporcionaram condições para a companhia torna-se ainda mais competitiva e uma das maiores do mercado de seguro saúde”, avalia o presidente da SulAmérica, Thomaz Cabral de Menezes.

A receita com seguros de automóveis no primeiro semestre de 2012 representou 21,7% dos prêmios totais da companhia e somou R$ 1,1 bilhão, crescendo 4,0% sobre o mesmo período do ano anterior, com a frota segurada alcançando 1,5 milhão de veículos. As reservas de previdência e VGBL finalizaram o trimestre totalizando R$ 3,5 bilhões, com destaque para o crescimento de 15,1% da carteira de VGBL. Já a área de Gestão de Ativos da SulAmérica acumulou recursos de R$ 21,8 bilhão ao final do período, com crescimento de 26,2% sobre o saldo apresentado ao final do primeiro semestre de 2011, destacando-se a evolução da carteira constituída pelos recursos de terceiros, que registrou alta de 41,1%. A carteira de recursos próprios, não vinculada à previdência e VGBL, apresentou rentabilidade de 108,3% do CDI no semestre.

Thomaz Menezes complementa destacando que a companhia continuou a investir na expansão de sua infraestrutura de presença física regional e a ampliar seu portfólio de produtos e serviços. Nesse sentido, foram inauguradas quatro filiais no trimestre, com a rede finalizando o período contando com 68 unidades distribuídas em todo o Brasil. A SulAmérica lançou ainda novos produtos, como o SulAmérica Capital Global e o SulAmérica Previdência PME, desenvolvidos especialmente para o promissor mercado de empresas de pequeno e médio porte. Além disso, anunciou a assinatura de contrato para aquisição da SulaCap, a quarta maior empresa de capitalização do País, que avalia como uma excelente oportunidade para a SulAmérica, uma vez que irá incorporar ao seu portfólio um novo segmento de mercado e de consumidores.

Resultado geral

O lucro líquido do segundo trimestre de 2012 foi de R$ 3,6 milhões, apresentando redução de 86,8% em relação ao mesmo período de 2011. Essa queda no resultado é consequência do aumento da sinistralidade no trimestre das duas principais áreas de negócios da companhia. A sinistralidade da carteira de saúde aumentou para 88,2%, em linha também com os índices de mercado. Principalmente nos segmentos de planos individuais e grupais, o período foi marcado por índice de reajustes abaixo do crescimento da variação dos custos médicos e hospitalares e também por um aumento na frequência da utilização.

A sinistralidade na carteira de seguro automóvel cresceu 3.5 p.p. neste trimestre em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, chegando a 67,7% neste segundo trimestre, sendo um dos principais motivos para este resultado o aumento de roubo e furto de veículos nas grandes metrópoles do País.

“Entre outros fatores que impactaram o resultado da SulAmérica está a queda da taxa básica de juros fixada pelo Governo. Mesmo considerando as constantes revisões para baixo nas projeções do PIB brasileiro e diante de um ambiente econômico internacional ainda instável devido à crise mundial que afetou a economia de diversos países, o cenário para o mercado de seguros no Brasil, para o segundo semestre, é otimista. Focaremos ainda mais em melhorias contínuas em nossos processos e serviços para que a SulAmérica continue crescendo e que seus acionistas tenham o retorno esperado”, afirma o presidente da companhia.

Denise Bueno

Sonho Seguro

Deixe uma resposta