A SulAmérica Seguros, Previdência e Investimentos esteve presente no Seminário de Controles Internos & Compliance, Auditoria e Gestão de Riscos, organizado pela  CNSeg. Durante o evento foram discutidos diversos assuntos relacionados ao setor de seguros como risco operacional, auditoria constante, combate à fraude e sustentabilidade. Mais de 250 participantes interagiram nas palestras conduzidas por profissionais do mercado de seguros no último dia 8 de agosto.

A superintendente de Sustentabilidade Empresarial da SulAmérica, Adriana Boscov, participou das discussões sobre sustentabilidade, controles internos e gestão de riscos. “A ideia foi quebrar o paradigma de que sustentabilidade trata de temas considerados ‘soft’ ou sem ligação com o negócio e demonstrar que ao melhorar processos, controles e ampliar a gestão de riscos para incluir temas socioambientais e de governança, as empresas passam a ter maior competitividade e resultados que geram valor no longo prazo”, afirmou a executiva.

Já o gerente de Auditoria e Prevenção à Fraude da SulAmérica, Adil Mohamed,  apresentou em sua palestra, no painel Prevenção à Fraude, alguns tipos de fraudes complexas que ocorrem em seguros, mais especificamente nos ramos de seguro auto e seguro saúde. Em sua palestra, ele destacou que as ferramentas de prevenção tradicionais, como as conhecidas red´flags, apesar de serem importantes, são limitadas, já que geram inúmeros “falso-positivos”, ou seja, acabam indicando como suspeitos os que são casos regulares.

“É necessário tratarmos a prevenção com abordagens estatísticas. Os red´flags analisam sinistro a sinistro, já os modelos estatísticos ou sistemas especialistas são os que existem de mais efetivos quando se fala em prevenção à fraude, além da própria atitude das empresas e da sociedade”, acentua o especialista da seguradora.

Ambos colocaram que o papel do setor de seguros é de gerar a inclusão social e econômica de um número cada vez maior de pessoas e que a falta de controle e a má gestão de riscos geram perdas que aumentam o preço do seguro, reduzindo assim a possibilidade de mais pessoas acessarem sua segurança financeira.

 

G.F.

Revista Apólice

Deixe uma resposta