O mercado de previdência privada fechou o mês de março com arrecadação de R$ 5,6 bilhões e crescimento de 38,48% na comparação com o mesmo período do ano anterior, segundo comunicado divulgado pela Fenaprevi. De acordo com a entidade, é o melhor resultado para o período desde 2008.

Os recursos acumulados pelos titulares dos planos do sistema de previdência complementar aberta alcançaram saldo de R$ 274,8 bilhões, com alta de 21,56% frente março de 2012. No mesmo mês do ano anterior, as provisões totalizaram R$ 226 bilhões.

O destaque ficou para os planos individuais, com aportes de R$ 4,9 bilhões no mês e avanço de 43,41% na comparação aos R$ 3,4 bilhões arrecadados em março de 2011. Os planos para menores tiveram alta de 12,27% e arrecadação de R$ 155,1 milhões. Já os aportes para os planos empresariais registraram R$ 515,6 milhões, alta de 9,66%.

“A forte expansão na arrecadação no mês de março reflete o comportamento de um maior número de investidores adotando a previdência complementar aberta para formação de poupança de longo prazo e instrumento para planejar a aposentadoria”, afirma diz Marco Antonio Rossi, presidente da Fenaprevi.

Segundo o levantamento, em março, o VGBL arrecadou R$ 4,8 bilhões com crescimento de 48,27% frente a março de 2011. A arrecadação dos planos PGBL’s cresceu 2,59% e movimentou R$ 544,7 milhões. Já os planos tradicionais totalizaram aportes no valor R$ 254,9 milhões no período.

No trimestre a arrecadação bateu a marca de R$ 14,8 bilhões contra os R$ 11,7 bilhões verificados nos três primeiros meses de 2011. Os planos individuais obtiveram também no trimestre o maior crescimento relativo. Registraram novos aportes de R$ 12,6 bilhões e expansão de 27,53%. O segmento produto com maior crescimento relativo foi o empresarial. A modalidade cresceu 18,86% e arrecadou R$ 1,7 bilhão. Os planos para menores, por sua vez, respondeu por R$ 448,1 milhões dos aportes, alta de 13,59%.

No trimestre, segundo a Fenaprevi, o produto VGBL arrecadou R$ 12,4 bilhões com crescimento de 30,65%. A arrecadação dos planos PGBL’s cresceu11,30% e movimentou R$ 1,6 bilhão. Já os planos tradicionais totalizaram aportes no valor R$ 781,2 milhões no período.

Ranking

No mês de março a BrasilPrev liderou o ranking de arrecadação com 32,02% do total arrecadado; Itaú em segundo lugar (25,41%) seguido por Bradesco (24,15%); Santander (5,68%) e Caixa (5,05%) atrás; logo após HSBC (3,65%), e Icatu (0,79%); Safra (0,64%); SulAmérica (0,52%) e Porto Seguro (0,48%) fecham a lista. As demais entidades somam, no total, 1,60% da arrecadação.

Provisões 

O VGBL é o produto com maior participação nos R$ 274,8 bilhões em provisões do sistema. O produto concentra 170,5 bilhões do total, volume 29,11% maior que o registrado em março de 2011.

O PGBL cresceu 15,93% no período e as reservas do produto passaram de R$ 57,8 bilhões para R$ 67 bilhões. As reservas de planos tradicionais, por sua vez, passaram de R$ 35,5 bilhões para R$ 36,8 bilhões no período, alta de 3,39%.

Com relação a market share, os planos VGBL mantiveram a liderança no volume de depósitos no sistema de previdência complementar, com 62,06% do total, seguidos pelos PGBL, com 24,41% do volume total de provisões, enquanto os planos tradicionais contaram com 13,39% do volume total de provisões. Outros produtos – incluindo os Fapi – completam a equação, com 0,23%.

Em relação à carteira de investimentos – diversas modalidades de ativos que garantem as obrigações corporificadas nas provisões – o mercado de previdência complementar cresceu 20,73% em relação. Com isso, a carteira do setor totalizou R$ 282 bilhões.

De acordo com o balanço da Fenaprevi, a carteira do VGBL obteve alta de 29,27%, passando de R$ 131,7 bilhões para R$ 170,2 bilhões. Já o PGBL cresceu 16,97% no período. A carteira do produto passou de R$ 58,2 bilhões para R$ 68,1 bilhões. Por fim, a carteira de planos tradicionais totalizou R$ 43 bilhões.

J.N.

Revista Apólice

Deixe uma resposta