A SulAmérica analisou, motivada pelo Dia das Mães, sua carteira de previdência privada e identificou o perfil dos investidores que procuram por planos de previdência privada para seus filhos. Ao pesquisar a base do SulAmérica Educaprevi, produto desenhado pela seguradora para assegurar o futuro de crianças e jovens durante a vida acadêmica, a companhia identificou que a maioria dos pais ou responsáveis que contrataram este produto optaram por um perfil conservador.

Dados de fevereiro de 2012 constatam que 56% dos planos para menores possuem aplicações em fundos menos arriscados. Em 2011, esse percentual era 48%, frente a 29% agressivos (com até 49% das aplicações em renda variável) e 23% em investimentos considerados moderado (isto é, que investem até 30% em renda variável).

“Sabemos que existem fatores que influenciam na decisão de investimento. Além do cenário econômico, pesam na decisão de investimento a preocupação com o futuro pessoal e familiar. A precaução predomina nestes casos e, para as mulheres, ganha proporções maiores, uma vez que o conservadorismo se estende para os filhos”, explica a diretora técnica de Seguros de Pessoas e Previdência da SulAmérica, Carolina de Molla.

É interessante observar que o perfil mais conservador tem sido predominante em toda a carteira de previdência privada da SulAmérica e, em partes, é reflexo da pouca predisposição ao risco do público feminino, que hoje representa 31,8% dos investidores. Dados de 2011 da seguradora mostram que 49,3% das investidoras optam por fundos conservadores, ou seja, com maior concentração em renda fixa.

 

G.F.

Revista Apólice

Deixe uma resposta