O Grupo Hospitalar Santa Celina lançou um desafio entre seus funcionários: incentivá-los a praticar exercícios e premiar aqueles que conquistassem melhorias no seu corpo. Foram três categorias: perda de peso e de medidas, assiduidade na prática da ginástica laboral oferecida pela empresa e ganho de elasticidade.

“O mais importante de tudo é que os funcionários entenderam a importância da prática de uma atividade física, seja ela qual for, e incorporaram isso em suas vidas. Isso refletiu diretamente no ânimo e no humor das pessoas”, conta Marcelo Katayama, gerente médico do Semeando Saúde, uma das divisões do Grupo Hospitalar Santa Celina.

A campanha teve início no segundo semestre do ano passado. A adesão foi de 80% dos colaboradores convidados, com a participação de 60 pessoas – todas passaram por uma aferição inicial de peso, medidas e elasticidade. A premiação envolvia itens que motivassem a continuidade dos cuidados com a saúde. Claudia Vilamaior, gerente de relacionamento do Grupo Hospitalar Santa Celina, foi a ganhadora na categoria perda de peso e de medidas e recebeu como prêmio um par de tênis de corrida. Gustavo Rodrigues Rebela, assistente de Recursos Humanos, premiado na categoria assiduidade na prática da ginástica laboral e no ganho de elasticidade corporal, levou um frequencímetro.

“Mudei radicalmente de vida desde que entrei para o programa. Decidi investir na minha saúde. Passei a frequentar uma academia e contratei os serviços de um personal trainer e de uma nutricionista”, diz Claudia. O resultado refletiu diretamente na qualidade do sono e na reforma do guarda-roupa. Ela diminuiu o manequim em um número e perdeu cinco centímetros de circunferência abdominal.

Já Gustavo preferiu investir na ginástica laboral oferecida pela empresa. “Como não tenho tempo de frequentar uma academia, participo da ginástica laboral, que acontece duas vezes por semana na empresa”, conta. Segundo ele, a postura e a respiração melhoraram muito.

Ana Elisa A.C. Siqueira, diretora do Grupo Hospitalar Santa Celina conta que uma das motivações para implementar a campanha foi a área de atuação da empresa. “Trabalhamos com home care, programas de prevenção e qualidade de vida e monitoramento de doentes crônicos. Como oferecer cuidados e ensinar a controlar a saúde sem cuidar da nossa? O exemplo deve vir da gente e esse foi mais um estímulo”, explica a diretora, que é praticante de corrida de aventura.

 

G.F.

Revista Apólice

Deixe uma resposta