Os beneficiários da Samcil e Serma já começam a ser atendidos na rede da GreenLine. Mesmo sem uma base de dados dessas pessoas, com a aprovação da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) para a aquisição das carteiras, a operadora está fazendo os atendimentos demandados. Após deixar uma reunião na Agência, em São Paulo, o diretor médico e administrativo da GreenLine, Clóvis Otávio de Miranda Ferreira, contou, com exclusividade à Revista Apólice, como está sendo a integração dessas vidas. No total, a operadora, que atualmente conta com pouco mais de 326 mil clientes, somará 500 mil beneficiários com a integração das carteiras.
Segundo Ferreira, a frequência de encontros com a ANS está intensa. Ontem, o executivo estava no Rio de Janeiro para ajustar detalhes no órgão regulador. “Queremos deixar bem claro o nosso compromisso em suprir as deficiências de atendimento que os clientes tiveram”, afirmou Ferreira.
De acordo com ele, a GreenLine assumiu apenas os beneficiários da Samcil e Serma (193.641 vidas). Os passivos e funcionários das operadoras continuarão sob responsabilidade da Pessoa Jurídica existente anteriormente. Conforme fontes do setor, os hospitais pertencentes à Samcil fecharam as portas, sendo que a dívida da operadora está avaliada em cerca de R$ 70 milhões. Veja abaixo a íntegra da entrevista:

Revista Apólice: Com a aquisição das carteiras da Samcil e da Serma, quantos usuários a GreenLine contabilizará no total?
Clóvis Otávio Miranda Ferreira: Os números ainda não estão consolidados, pois o negócio foi homologado na noite de terça-feira (03). Nós estamos correndo com a base de dados, mas estimamos chegar a 500 mil vidas.

Revista Apólice: Qual é a estrutura de atendimento que a operadora já dispõe para receber os novos beneficiários?
Clóvis Otávio Miranda Ferreira: Fizemos um estudo baseado na projeção de sinistros e na quantidade de vidas. Analisando a capilaridade da nossa rede e o número de beneficiários, chegamos à conclusão de que se não mexermos em nada, já temos capacidade de atendimento. Mesmo assim, a empresa está empenhada em aumentar a sua rede para deixar os beneficiários numa situação mais confortável porque estamos assumindo carteiras que já estavam com problemas de atendimento.

Revista Apólice:
Qual será o incremento realizado?
Clóvis Otávio Miranda Ferreira: Vamos aumentar entre 10% e 15% a capacidade das redes credenciada e própria em todas as áreas.

Revista Apólice: O que a GreenLine de fato adquiriu?
Clóvis Otávio Miranda Ferreira: Compramos só a carteira de beneficiários. Não assumimos nenhuma estrutura, nem física nem de funcionários. A Samcil, enquanto Pessoa Jurídica, continua existindo. O que nós resolvemos foi a vida dos clientes da operadora.

Revista Apólice:
Qual foi o valor da negociação?
Clóvis Otávio Miranda Ferreira: Infelizmente, eu não posso falar. É até uma solicitação da ANS não divulgar a cifra negociada.

Revista Apólice: A partir de agora, como será a divulgação e política de comercialização junto aos corretores?
Clóvis Otávio Miranda Ferreira: A GreenLine continuará com a mesma política comercial de antes. Como nós já havíamos feito muitos investimentos na parte assistencial da rede de atendimento, é muito tranquilo. Nós continuaremos com as mesmas metas e políticas de comissionamento. Não altera nada.

Revista Apólice: Desde quando a GreenLine planeja fazer uma aquisição como esta para alavancar sua posição no setor de saúde suplementar?
Clóvis Otávio Miranda Ferreira: O mercado de saúde já mostra há algum tempo que as empresas que têm estrutura para se manter precisam crescer. Qualquer ramo de atividade na atual conjuntura econômica do Brasil tem de se preparar para expandir. Já estava nos planos da GreenLine fazer alguma aquisição, por isso, desde o início do ano passado, incrementando a carteira. Aumentamos a nossa rede e verticalizamos mais a empresa. Estávamos nos preparando para um boom de beneficiários. Com essa oportunidade, nós unimos o útil ao agradável. A nossa estratégia casou com o momento do setor de saúde em São Paulo, que foi a aquisição das carteiras da Samcil e Serma.

Revista Apólice: Concluída essa aquisição. Quais são os próximos passos da GreenLine?
Clóvis Otávio Miranda Ferreira: Queremos manter as metas comerciais, continuar crescendo, verticalizando, ajustando a carteira e prontos para estudar novas carteiras.

Aline Bronzati
Revista Apólice

Deixe uma resposta