O segmento de previdência privada aberta manteve a tendência de alta obtida em janeiro. A arrecadação somou R$ 3,7 bilhões, expansão de 29,24% perante o mesmo mês de 2010. Trata-se do maior volume obtido nos últimos 3 anos. Nas palavras do presidente da Fenaprevi (Federação Nacional de Previdência Privada e Vida), Marco Antonio Rossi, o mercado iniciou 2011 “em ritmo forte”. “O crescimento da massa salarial e o aumento da renda familiar estão contribuindo para o investimento em formação de poupança de longo prazo”, avalia ele por meio de comunicado.
No período de análise, o produto VGBL arrecadou R$ 2,9 bilhões com crescimento de 33,49%. Já os PGBL’s apresentaram incremento de 35,49% em fevereiro e movimentação de R$ 508,2 milhões. Enquanto isso, os planos tradicionais totalizaram aportes no valor R$ 264,6 milhões no período. Outros produtos de previdência (FAPI, PGRP e VGRP) arrecadaram R$ 1,1 milhão.
De acordo com os dados recém divulgados pela Fenaprevi, foram efetuados aportes no valor de R$ 3,1 bilhões nos planos individuais em fevereiro último, alta de 32,59% na comparação aos R$ 2,3 bilhões arrecadados em fevereiro de 2010. Os planos empresariais, por sua vez, tiveram expansão de 11,09% e arrecadação de R$ 458 milhões. Já os aportes para os planos para menores registraram R$ 124,5 milhões, alta de 25,29%.
Já no acumulado do ano, os planos de previdência arrecadaram R$ 7,6 bilhões, o que representou um crescimento de 25,16% na comparação com o mesmo período de 2010. O VGBL no período acumulou R$ 6,1 bilhões, com alta de 27,62%. O PGBL, por sua vez, apresentou alta de 28,68% arrecadando R$ 1 bilhão frente aos R$ 788,9 milhões registrados no mesmo período do ano anterior. Os planos tradicionais apresentaram queda de 2,14% no período com arrecadação de R$ 522,3 milhões, em relação aos R$ 533,7 milhões de 2010.
No resultado acumulado por segmento o destaque ficou por conta dos planos individuais que cresceram 27,04% e acumularam R$ 6,4 bilhões em relação ao acumulado de 2010. Os planos empresariais tiveram alta de 14,51% e aportes de R$ 976,4 milhões. Os planos para menores arrecadaram R$ 256,3 milhões, alta de 22,95%.

Aline Bronzati
Revista Apólice

Deixe uma resposta