O programa de medicina preventiva “Semeando Saúde”, da Hospitalar Santa Celina, foi o primeiro a ser reconhecido pela Organização Nacional de Acreditação (ONA) com o grau de excelência na América Latina. A ONA é uma organização não-governamental que avalia e certifica a qualidade dos serviços de saúde, com metodologia validada pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).
O “Semeando Saúde” nasceu e se desenvolveu inspirado nos padrões de cuidados com a saúde da cultura japonesa. A proposta é conscientizar seus beneficiários da responsabilidade que têm sobre a manutenção de sua saúde, e oferecer ferramentas que garantam uma mudança de comportamento.
O programa tem como metodologia de trabalho o exame detalhado de dados do perfil de cada indivíduo, transformando o resultado desta análise em subsídio para melhor estruturação de programas de promoção da saúde e prevenção de doenças.
Softwares criam indicadores que funcionam como guia de informações para o planejamento e desenvolvimento das ações de medicina preventiva.
“Com base na nossa carteira, apuramos que as empresas reduzem entre 15 e 20% de seus gastos com saúde quando investem em prevenção”, afirma Dr. Marcelo Katayama, gerente Médico do programa. “Com o avanço tecnológico, a medicina tornou-se capaz de diagnosticar precocemente determinadas doenças. Esta realidade, obviamente, acaba antecipando os gastos com saúde, que também crescem, à medida, que a expectativa de vida aumenta”, completa Katayama.
Ainda de acordo com o médico, diante deste cenário, a medicina preventiva assume naturalmente o papel de melhor solução para a diminuição das despesas com saúde pelas empresas, que são as principais clientes dos planos de saúde.
“Quem investe em promoção e prevenção de saúde pode, por exemplo, negociar melhores condições em suas apólices e contratos junto às operadoras de saúde”, comenta Katayama. Mas, por outro lado, as operadoras que oferecem medicina preventiva e/ou promoção de saúde em seus planos, agregam valor aos seus produtos, destacando-se como um diferencial de mercado.

Reserva técnica
O médico aponta outra vantagem para a operadora que contrata o Semeando Saúde: a autorização para o uso dos recursos da reserva técnica em programas de medicina preventiva.
Pela legislação, as operadoras têm que formar uma reserva técnica financeira proporcional ao número de beneficiários e ao risco da operação.
Entretanto ressalta que, como o programa tem sua acreditação validada pela ANS, quem o adquire demonstra para a agência que investe em medicina preventiva e promoção de saúde, conseguindo transferir parte da reserva técnica (passivo) para o ativo de suas empresas.

J.N.
Revista Apólice

Deixe uma resposta