Durante o primeiro semestre de 2009, os prazos médios de pagamento foram reduzidos, de forma geral, em toda a União Europeia, com intensidade na Espanha e França

De acordo com o último Barômetro de Práticas de Pagamento do Grupo Atradius, que opera no Brasil, Portugal e Espanha, por meio da Crédito y Caución, os prazos médios de pagamento reduziram de forma generalizada na União Europeia, ao longo do primeiro semestre de 2009. A melhoria foi especialmente significativa na Espanha e França, com reduções de oito dias comparativamente com os valores que encerraram o ano de 2008. No mercado europeu, apenas Itália e Suécia não registraram melhoria nos prazos de pagamento. As condições de pagamento dos 20 mercados analisados diferem significativamente. O prazo médio do pagamento vai desde os 22 dias na Alemanha e Polônia, até aos 67 dias em Itália e Espanha.

O estudo foi elaborado a partir de 3500 entrevistas realizadas, entre os meses de julho e agosto de 2009, junto de empresas de vinte mercados de todo o mundo. Os prazos médios, que incluem operações a crédito e a vista, são representativos das médias e grandes empresas, já que pelo menos 60% da amostra apresentava um faturamento superior a 10 milhões de euros. Os resultados permitem detectar as tendências da evolução do comportamento dos pagamentos de cada mercado e compará-los entre si.

Mercado doméstico
As empresas dos Estados Unidos são as que têm percepção mais positiva do comportamento dos pagamentos no próprio mercado: 74% considera que é bom, muito bom ou excelente, seguidas das empresas do Canadá (68%). A percepção mais negativa acontece em Espanha, onde 71% das empresas considera que é mau, pobre ou aceitável, seguidas de Itália (67%) e França (66%). Os mercados da União Europeia estudados, à exceção da Suécia, acompanham uma melhoria ou uma manutenção das condições, tendo em conta o Barômetro de Inverno 2008/09.

Nos 20 países envolvidos no Barômetro de Práticas de Pagamentos do Grupo Atradius, o tempo médio decorrido entre a emissão de uma fatura e o pagamento no mercado doméstico oscilou entre os 28 dias na Dinamarca, Polónia e Alemanha, e os 78 dias em Itália. Só Itália, Suécia e Alemanha mantiveram os valores do Barômetro de Inverno de 2008/09. O resto dos mercados registou uma melhoria, com destaque para a França que passa dos 55 para os 38 dias.

Mercado externo
As empresas da Áustria e Grã Bretanha são as que melhor qualificam o comportamento dos pagamentos dos mercados externos nos mercados com que fazem negócios que, aliás, é descrito como bom em todos os mercados estudados. No topo do Barómetro de Inverno de 2008/09, assistiu-se a uma melhoria generalizada, à excepção da Alemanha.

Nos vinte países analisados, o tempo médio decorrido entre a emissão de uma fatura e o pagamento nos mercados externos oscilou entre os 25 dias na Polónia e os 66 dias em Itália. A duração do pagamento estrangeiro nos países da União Europeia é menor do que no Barómetro de Inverno de 2008/09, à excepção de Itália e Alemanha.

Prazos diferentes
Dos 20 mercados analisados, o mercado chinês é o que aplica, com maior intensidade, diferentes prazos de pagamento dependendo do setor de actividade ou do mercado externo a que pertence o cliente. 93% das empresas reconhece este tipo de práticas seguidas pelas empresas de Hong Kong (81%), México (75%) e República Checa (66%). Espanha (60%) é o quinto mercado do mundo e o primeiro da Europa no qual mais empresas aplicam prazos de pagamento diferentes para cada cliente.

Em comparação com os valores do Barômetro de Inverno de 2008/09, este comportamento intensificou-se especialmente na Espanha, no qual, há cerca de seis meses, 54% das empresas aplicavam estas medidas. Por outro lado, a maior diminuição é registada na Alemanha, onde as empresas que aplicavam diferentes prazos de pagamento aos clientes passaram de 51% no Inverno 2008/09 para 42% no Verão de 2009.

Deixe uma resposta