7 dicas para contratar o plano de saúde empresarial ideal

Anualmente, o contrato do plano de saúde das empresas é renovado e muitos empresários têm dúvidas sobre o assunto. É melhor esperar ou realizar uma pesquisa prévia? Mudar de plano de saúde é interessante?

Rosa Antunes, diretora da Viacorp Administradora de Benefícios e Assessoria em Seguros e presidente da Associação dos Corretores de Planos de Saúde (Acoplan), responde essas e outras dúvidas para a melhor escolha do plano dos funcionários.

Qual o melhor momento para renovar o plano de saúde da empresa?

A melhor época é quando antecede 90 dias do reajuste/aniversário do contrato. Assim, é possível pedir cotações com base no perfil individual da empresa. “Todo contrato de plano de saúde empresarial pede 60 dias de aviso prévio, então de posse das cotações é possível decidir a troca e cumprir o aviso”, orienta.

Quais são os casos que exigem mais atenção do corretor junto ao cliente na hora da renovação?

São os contratos acima de 30 vidas, já que abaixo de 29 vidas os reajustes são por agrupamento de empresas, o que faz com que sejam mais equacionados. “A ANS, com a RN 309/2012, exige um reajuste pela carteira de cliente nas empresas com menos de 30 vidas, protegendo as pequenas empresas de um aumento por pagamento x utilização”, ressalta.

Quem é cliente da mesma operadora há muito tempo pode ter vantagens na hora da renovação?

Sim, mas “o que influencia mesmo o preço do plano de saúde da empresa é a utilização dos serviços usados no período x pagamento efetuado.”

Optar pela concorrente pode significar pagar menos?

Sim. “Ao trocar de operadora, a empresa pode ganhar uma gestão de saúde mais eficiente, o que traria o equilíbrio dos reajustes futuros.”

Todo plano de saúde empresarial deve contar com a gestão de uma empresa especializada?

Plano de saúde de qualquer empresa, seja abaixo de 29 vidas ou acima de 30, deve contar com o gerenciamento de uma corretora especialista em benefícios.

“O assunto é complexo, pois lida com a saúde de vidas, o que é muito diferente do seguro feito para proteção de patrimônio. Pode parecer simples, mas não é, além dos serviços administrativos, como inclusões, exclusões, reembolsos, essas empresas atuam tirando dúvidas, lidam com remoções, segunda opinião médica, colaboram em processos judiciais da empresa, possuem médicos e advogados que auxiliam para que possam manter o maior grau de satisfação dos clientes”, explica Rosa Antunes.

Esta administração dos planos tem custo adicional para as empresas clientes?

A maior parte das operadoras paga a corretora que vendeu o plano de saúde por esta administração, ou seja não há custos para ter esses serviços.

“Infelizmente, muitas empresas têm um plano de saúde e não contam com o auxílio do corretor, que sumiu depois de vender. Neste caso, basta procurar um novo corretor que, este, com um processo simples junto à operadora, faz a transferência da administração da antiga corretora para a atual. Tão importante quanto a assistência do médico ou do advogado é também da corretora”, aconselha.

L.S.
Revista Apólice

1 COMENTÁRIO