seguros

A proposta da Regula, que desde 2017 oferece atendimento a sinistros para corretoras de seguros, ganha espaço no mercado.

A Asteca Corretora de Seguros, gerida pelo corretor de seguros Boris Ber, fechou contrato com a companhia. A seguradora possui grande produção e, consequente, alto índice de sinistros. Ber aderiu ao conceito de que é muito mais vantajoso direcionar os colaboradores para prospectarem novos negócios e ter uma equipe de atendimento terceirizada. Acredita que isso pode fidelizar os segurados e conquistar os clientes com o serviço mais personalizado.

“Apesar de termos na empresa uma área de sinistros com quatro funcionários, são muitos casos para atender. Optamos por uma parceria. As ocorrências mais complexas são deixadas com o atendimento terceirizado. É uma proposta inovadora que pode realmente reduzir os custos de uma corretora. No nosso caso, teríamos que colocar mais pessoas para fazer isso”, afirma o corretor.

Por que terceirizar

Comprovando que os profissionais de seguros deixam de ganhar dinheiro quando se debruçam no atendimento de sinistros, a entidade desenvolveu o custo de oportunidade. É uma fórmula matemática que avalia quanto se deixa de obter quando o corretor de seguros líder da empresa para de vender para atender. “O corretor de seguros pode direcionar seu investimento (custo) de funcionário que estava na área de sinistro para uma alguma que traga mais resultados, como vendas, cross-sell, e utilizar um plano de assistência adequado à sua produção”, sugere Ber.

O sócio-diretor da Regula, Daniel Bortoletto, acredita que a terceirização dos sinistros para equipe especialista é uma forma inteligente de gerir e reduzir custos. “Administrar uma empresa é uma arte. Controlar os seus números de forma inteligente é uma obrigação para o empreendedor”.

M.S.
Revista Apólice