recall

Recall em grandes indústrias, por mais bem-sucedidas que sejam, pode causar danos não só financeiros, mas também de imagem que podem ser muito difíceis de reparar. No mercado de seguros existem apólices que arcam com esses prejuízos em caso de recall.

Talvez esse seja o recurso que pode permitir que uma grande companhia francesa, líder no ramo de laticínio, retome o fôlego; caso a companhia tenha o seguro – o que ainda não foi informado.

Entenda o caso:

A Lactalis enfrenta um escândalo internacional após a bactéria Salmonela ter sido encontrada em seus produtos, mais especificamente em latas de leite em pó destinado a bebês. Para resolver a questão, a empresa prometeu que fará recall, retirando as suas caixas de leite em pó das prateleiras de supermercados de 83 países.

Emmanuel Besnier, o líder da discreta família que está por trás de um dos maiores grupos de laticínios do mundo, falou publicamente pela primeira vez sobre o assunto, após protestos que acusavam a companhia de ter escondido um surto de Salmonela nas fábricas que produzem o leite.

Ele afirmou que todos os produtos do grupo Lactalis estavam passando por recall, sendo retirados das prateleiras independentemente de seu lote. “Nós precisamos fazer as contas dessa operação: mais de 12 milhões de caixas foram afetadas”, disse Besnier. “Por isso, tudo precisa ser removido das prateleiras”, afirmou.

Posicionamento

O movimento de recall começou após a acusação de que a companhia tentou esconder a descoberta de presença de Salmonela na fábrica e impediu o gerenciamento da crise subsequente, o que Besnier nega. As autoridades francesas também estão sendo pressionadas para lidar com a questão de saúde.

As infecções por Salmonela podem ser um ameaça à vida; e as famílias de 36 crianças que ficaram doentes na França após serem contaminadas com o leite anunciaram que se unirão para tomar medidas judiciais.

Até o momento, foram registrados 37 casos de crianças infectadas pelo leite em pó. 35 na França, um na Espanha e outro na Grécia. As vítimas afirmam que essa é apenas a ponta do iceberg e que as autoridades estão subestimando o número de casos.

Como representante da companhia, Besnier se encontrou com o ministro das finanças francês, Bruno Le Marie, que afirmou que “o objetivo com esse passo radical [recall total] é simples: evitar atrasos, problemas com ordem de classificação dos lotes e riscos de erros humanos”. A medida reflete oficialmente a frustração em gerenciar a crise.

“Eu não posso garantir que neste momento não há mais nenhuma lata de leite para bebês esquecida em uma prateleira ou grande depósito. Mas eu acredito que recobrar todas essas latas é a maior garantia que podemos dar”, afirmou Le Marie.

Besnier negou ainda que a companhia tivesse sido instruída a retirar todos os produtos de circulação, insistindo que essa medida surgiu por sua livre iniciativa. “Mas nós vamos aprender as lições dessa crise e elaborar um novo plano, saudável e seguro. Nossa prioridade é a segurança e a saúde”, declarou.

Outras marcas

A Lactalis também é responsável pela produção de marcas como President – de manteigas e queijo camembert – o leite Lactel e o famoso Société, de queijo roquefort. Besnier disse esperar que a fábrica, que emprega 330 pessoas e está fechada desde dezembro possa reiniciar sua produção em alguns meses, mas que tudo só será feito quando for absolutamente seguro.

Ele também prometeu indenizações às famílias. “Existem reclamações e elas serão investigadas com nossa total cooperação, nunca pensaríamos em agir de outra maneira. Nossa prioridade sempre foi gerenciar a crise e garantir que não haja novas crianças contaminadas. Soubemos que os bebês que ficaram doentes estão bem, o que é o mais importante”, alegou.

Para saber mais sobre seguros para recall: Quando o produto sai de cena

com informações: the guardian

A.C.
Revista Apólice

Deixe uma resposta