Títulos de capitalização: sorteios crescem, resgates diminuem

capitalização

Com um aumento de 4,9% no valor de prêmios distribuídos em sorteios entre janeiro e julho, em comparação ao mesmo período do ano passado, o segmento de títulos de capitalização entregou cerca de R$ 641 milhões de prêmios em dinheiro a clientes sorteados de todo o país, informa a Federação Nacional de Capitalização (FenaCap). Isso equivale ao pagamento de R$ 4,3 milhões por dia útil, no período.

Os números revelam  que o segmento registrou, pela segunda vez consecutiva, uma redução de 7,6% nos resgates, em comparação a igual intervalo de 2017. Isso sinaliza que as pessoas estão cautelosas, deixando o dinheiro guardado por mais tempo.

Esse movimento se  reflete no volume das reservas técnicas,  recursos dos clientes com títulos ativos, que alcançaram R$ 28,5 bilhões . O pequeno recuo nessas provisões, de 3,9%, se deveu ao movimento de resgates finais e antecipados e também a uma retração de 2,8% no faturamento global do setor, que atingiu R$ 11,5 bilhões. “Esse resultado já era previsto, em razão do desempenho da economia e da retração da renda”, diz o presidente da FenaCap, Marco Barros. Entretanto, segundo ele,  o mercado já começa a reagir, especialmente pela melhoria de alguns indicadores, com destaque para a queda no índice de desemprego, inflação e juros baixos.

Desempenho por modalidade

Na análise de desempenho por modalidade, o título de capitalização de Incentivo, voltado para pessoas jurídicas interessadas em realizar ações promocionais de vendas,  arrecadou R$1,2 bi, o que representa um crescimento de 49% em relação ao mesmo período do ano anterior. “É uma solução para alavancar vendas, que ajuda a girar estoques e tem tido enorme aceitação no mercado varejista, especialmente em momentos de incerteza econômica e queda do consumo,” assinala  Marco Barros, ao analisar o ritmo diferenciado de crescimento apresentado pela modalidade.

O título de capitalização Tradicional, carro-chefe do setor,  registrou arrecadação de R$ 9,6 bilhões, sendo responsável por 83,8% resultado global do segmento. Dentro dessa mesma modalidade, o título de capitalização para garantia locatícia, que substitui o fiador nas transações de alugueis de imóveis residenciais e comerciais, também se destacou, com  crescimento de 82,3%, quando comparado com ano anterior, resultando em R$ 819,3 milhões de receitas. O produto Popular,  cujas regras de desenvolvimento e comercialização estão sendo revistas pela Susep, arrecadou R$ 629,9 milhões, representando 5,48% do faturamento.

A.C.

Revista Apólice

One Comment - Escreva um comentário

Adicionar novo comentário

 

NEWSLETTER