Foto: Rafael Neddermeyer, Fotos Públicas
Foto: Rafael Neddermeyer, Fotos Públicas

Quem sempre planeja investir o 13º salário e nunca consegue manter a promessa pode começar a fazer diferente neste ano. Ainda é possível parar, pensar e traçar objetivos a longo prazo. Investir o 13º pode ser uma boa estratégia, especialmente para os que não estão acostumados a guardar dinheiro ou fazer planejamentos financeiros de médio ou longo prazo.

Quando pago direto ao trabalhador, o 13º salário sofre tributação na fonte no momento do pagamento e ele é definitivo, ou seja, não pode ser compensado com despesas. Se o empregado solicitar que a empresa pagadora retenha o valor e deposite no plano de previdência, o montante será 100% aplicado. “A vantagem nesse caso é que o que seria pago em Imposto de Renda é aplicado na previdência, gerando rendimentos futuros” afirma Maristela Gorayb, diretora de Previdência e Vida Resgatável da Mapfre.

Este tipo de investimento aumenta as chances de alcançar o objetivo e é ideal para quem não tem tempo de rever o planejamento financeiro ou acaba gastando mais do que pode. Mesmo um plano de previdência que é de longo prazo pode ser revisto anualmente, por exemplo, e o cliente pode acompanhá-lo e verificar se a opção escolhida apresenta os rendimentos compatíveis com o mercado e se o valor aplicado por mês pode ser ajustado.

A aplicação do 13º salário em um plano de previdência pode ser ainda mais vantajosa de a opção escolhida for um Plano Gerador de Benefício Livre, o PGBL. Nesse caso, o valor aplicado na previdência complementar no momento da aplicação ou no ano de investimento é abatido do Imposto de Renda. Esse benefício fiscal tem limite de aplicação em até 12% da renda bruta anual. O Imposto de Renda é cobrado apenas quando é feito o saque ou quando a pessoa começa a receber a renda mensal da aposentadoria e em conformidade com o Regime de Tributação escolhido pelo participante do plano de previdência complementar. Com isso, o rendimento será sobre uma base maior de dinheiro, aumentando o saldo acumulado ao longo do tempo. Já em fundos de investimento abertos, não atrelados a planos de previdência, a tributação é semestral.

Outra vantagem para famílias que optam por esse tipo de compra é o fato de o dinheiro aplicado não entrar em inventário em caso de falecimento do titular do plano. Isso gera uma economia significativa para a família, que não terá custos com honorários advocatícios sobre esse valor. O saldo também pode ser liberado em até 30 dias para os beneficiários, o que contribui para manter a estabilidade financeira da família.

L.S.
Revista Apólice

Deixe uma resposta