As grandes obras de infraestrutura já em curso e outras previstas pelo governo e iniciativa privada para os eventos esportivos mundiais – Copa do Mundo e Olimpíadas –, além do PAC e a exploração de petróleo no pré-sal, estão movimentando a economia e, consequentemente, o setor de seguros. Mas, resta saber qual será, de fato, o impacto desses grandes riscos para o mercado de seguros. Haverá incremento de receita para os principais agentes do setor (resseguradoras, seguradoras e corretores)? O mercado dispõe de coberturas de seguros adequadas para esses eventos?
Estas e outras questões serão respondidas no Debate do Meio-Dia da APTS “Incremento da receita de seguros por conta de novos Eventos”, marcado para 31 e outubro, na sede da entidade,em São Paulo. Odiretor de Eventos da APTS e coordenador do debate, José Cesar Caiafa Junior, também diretor da Flex Corretora de Seguros, convidou três especialistas da área: José Marcelino Risden, da Berkley Brasil; Luiz Pestana e Paulo Hayakawa, ambos da Terra Brasis; e Carlos Barros de Moura, da Barros de Moura Corretora de Seguros.

A.C.
Revista Apólice