Novo sistema chega para reforçar a importância da direção segura

As inovações do setor para a carteira de automóveis estão cada vez mais diversificadas. O ramo alavanca o mercado e costuma ser a porta de entrada para que o público se familiarize com o seguro. Com isso, as novidades tecnológicas saem apenas da administração das seguradoras para fazerem parte das apólices.

Empresas de tecnologia já oferecem serviços de rastreamento e avaliação de controle para frotas, inserindo nos automóveis dispositivos que facilitem a sua localização. Existe mais uma novidade que promete se popularizar: a telemetria. O serviço baseia-se não apenas em monitorar a localização do veículo, mas em analisar a postura do motorista. Com base em dados enviados por um dispositivo, que funciona via rádio ou satélite, as empresas podem avaliar o impacto dos hábitos ao volante e com isso calcular maneiras de beneficiar o cliente. Frear bruscamente, excesso de velocidade, parar em locais perigosos ou fazer curvas de modo displicente. Tudo isso é registrado para que o motorista também analise melhor a forma como conduz.

O sistema, que já é utilizado nas apólicesem países como Itália, Espanha e Estados Unidos, por exemplo, se apresenta como uma opção para aumentar o interesse das pessoas pela direção segura, proporcionando maior conforto e oferecendo alternativas que pareçam mais justas ao bolso do consumidor.

Há a opção de plano chamado pay per mile, onde o contratante paga o prêmio de acordo com o quanto usa o automóvel. Caso ele dirija apenas aos finais de semana, em casos de emergências ou possua outros carros em sua casa que use com maior frequência, o prêmio pago será equivalente ao que foi gasto em quilômetros. Para estabelecer o valor existem duas maneiras: o cliente pode ter abatimento no preço durante a vigência da apólice, ou no momento da renovação será inspecionada a média de uso durante aquele período, para, então, calcular o prêmio final.

Já o mais avançado é conhecido como pay how you drive, que oferece descontos de acordo com o modo como o motorista dirige, se respeita as regras de trânsito, os limites de velocidade, se costuma agir de maneira perigosa, deixar o carro estacionado em locais proibidos ou perigosos, os horários que costuma utilizar, em que vias costuma trafegar, dentre outros fatores.

 

Experiência internacional

Nos países citados, essa tecnologia pode ser contratada juntamente com o seguro de automóvel, tornando-se o principal diferencial do seguro comum, pois a iniciativa visa recompensar os motoristas por praticar a direção segura. A intenção é obter o maior detalhamento possível do perfil do usuário e não apenas mantê-lo em perfis por idade, gênero ou localização.

O sistema é capaz também de determinar as áreas por onde os veículos podem transitar. A delimitação é feita a partir de uma plataforma e caso algum automóvel vá além das “cercas” criadas, um aviso é enviado por e-mail ao titular do seguro, assim como a empresa responsável será alertada. Em caso de roubo, isso aumentaria as chances de

recuperação do veículo, além de auxiliar situações em que outras pessoas, como familiares ou empregados, tenham acesso ao carro. Todas as ações ficam registradas

e podem ser consultadas através do portal disponibilizado aos titulares.

Segundo o vice-presidente Global de Telemetria, da Telit Wireless Solutions, Cyril Zeller, “as companhias querem atrair bons motoristas com descontos. Motoristas que dirigem melhor desejam e merecem pagar menos”, pontua. Nicanor Fragoas, diretor de Vendase Marketingda Zatix, concorda com a diminuição do prêmio como  reconhecimento da prudência do condutor. “O dilema da seguradora é tentar separar o bom do mau motorista. Uma apólice para uma pessoa jovem e solteira geralmente é caríssima, mas dentro desse perfil tem quem dirija muito bem”, afirma.

Segundo dados da ABI Research, empresa norte-americana especializada na análise de mercado tecnológico, é estimado que o número de usuários da telemetria na Europa cresça de 1,5 milhão, conforme registrado em 2010, para 44 milhões até 2017. Entre os principais benefícios estão economia de despesas, tanto para seguradoras quanto para segurados, maior oferta de planos para clientes e a conscientização dos motoristas.

Confira a reportagem completa na edição de junho (175).

Amanda Cruz /Revista Apólice

 

Adicionar novo comentário

 

NEWSLETTER